quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

POLÍTICA DAS ANGÚSTIAS / SÁBADO



SUBVENÇÕES MILIONÁRIAS




Em finais de mais uma semana, damos com sua excelência em pleno desempenho de nova missão por essa Europa dentro, sem a qual missão não sabemos que seria da Madeira. 
Demos notícia dias atrás de mais esta incursão do rei da tabanca às entranhas das ruas, praças e lençóis de Bruxelas, embora vacilando quanto à precisão de horários dos aviões, porque o homem tem justificados complexos ligados à segurança. A brincadeira de um atentado às unhas da Al-Qaeda poderia fulminar a zona vip do aparelho, mas não deixaria incólume a parte traseira, onde também voa gente. 
Recebemos protestos e críticas indecorosas para sua excelência, não propriamente pelos seus passeios em praças e devaneios entre lençóis de 5 estrelas, mas por essas mordomias saírem dos bolsos dos cidadãos contribuintes, madeirenses, nacionais e europeus.

Da nossa parte, condenamos também a vida regalada que o régulo saboreia com a conta passada, efectivamente, aos nossos impostos. Mas também deve faltar pouco tempo.

O homem não estranhará quando tiver os pés pregados ao basalto, sem passagens grátis para viajar com o seu secretariado a toda a hora? - gozarão certos detractores de sua excelência.
Pois avançamos nós em defesa do homem, até para não nos classificarem constantemente de ressabiado: ele só não continuará o seu papel de caixeiro-viajante se não quiser. Dinheiro para passagens? Descansem que ele não vos meterá vale, como diz o povo. Então e a subvenção milionária que o espera? Bom, é o que pensamos acontecer um dia, quando ele já não conseguir sentar o real traseiro na cadeira das Angústias.
Os operacionais da Madeira Nova não dormem na forma. Julga o cavalheiro Leitor que o futuro de quantos passam pelo desgoverno regional se resolve com honrarias tontas - do género Escola Brazão de Castro, Rua Jardim Fernandes, Travessa Francisco Fernandes e por aí adiante?
Ora!
Reparem só na relação de pensões vitalícias pagas mensalmente pelo erário, em números arredondados, conforme se vê nas folhas oficiais:

- Bazenga Marques - 2.600 euros
- Rui Adriano - 2.600 euros
- Francisco Santos - 1.000 euros
- Susano França - 2.100 euros
- Pereira de Gouveia - 2.100 euros
- Brazão de Castro - 2.600 euros
- Jorge Jardim Fernandes - 2.600 euros
- João Carlos Abreu - 2.600 euros

Valeu a pena aturar o velhote uns anos. E, ao que nos dizem, encontram-se na bicha das subvenções o ex-secretário do Equipamento Social Santos Costa e outros ex-governantes e actuais vices da ALM - Paulo Fontes e Miguel de Sousa.
Então e 'Meio Chefe'? Não é gente de carne e osso? O facto de já ter hoje dois ordenados - reforma e salário - implicará com a questão da futura subvenção?
Ou há democracia ou comem todos!
A nosso ver, assim que 'Meio Chefe' for atirado fora das Angústias haverá novidade nas folhas oficiais que descrevem as subvenções aos antigos desgovernantes. E que balúrdio não lhe estará reservado!
Bem forreta será rei da tabanca se deixar de viajar até ao vale de lençóis do Sheraton na capital belga só para não gastar uns míseros de milhares de euros de cada vez.











Política


DEPUTADOS DE JAIME EM EXCURSÃO NA CALHETA 

Jardim Ramos e Jaime Freitas convocados para adormecer os parlamentares, em jornadas a realizar nas costas de Miguel de Sousa

Os parlamentares laranja contam com programa lúdico-social para o fim-de-semana: umas patuscadas bem regadas na tão aprazível zona oeste da ilha. Para preencher o tempo entre os promissores repastos, patrão Jaime Ramos mandou organizar umas sessões para os deputados descansarem a sesta. Para os adormecer na paz do Senhor!
Estão convocados dois secretários regionais do desgoverno PPD com reconhecidos méritos na matéria, dadas as suas características de oradores: Jaime Freitas e Jardim Ramos, da Educação e da Saúde, respectivamente.
Para que a deputação dos Netos não seja perturbada no repouso do guerreiro, depois das escaramuças entre Jaime e Miguel de Sousa, a que assistiu devidamente caladinha, a escolha do local para o retiro recaiu no categorizado 'Calheta Beach', com marca registada 'Avelino Farinha'.
João Cunha e Silva também vai estar nas denominadas Jornas Parlamentares, porque Jaime não está em condições de avolumar inimizades.
Segundo segredaram aqui ao blogue 'Fénix', as jornadas também foram empurradas para oeste porque o vice do GR não teria pachorra de deixar a sua casa no Arco para percorrer grandes distâncias.
Pelo contrário, Miguel de Sousa julgamos que estará ausente, porque não deve regressar a tempo do estrangeiro.
Marcar agendas é com Jaime Ramos. E em cima da hora, para pregar partidas a modo.









Luto


MORREU O NOSSO AMIGO PINTOR JOAQUIM DA LUZ





Ainda parece partida de mau gosto, mas confirma-se: o nosso Amigo Joaquim da Luz, artista e âncora nas mesas de cavaqueira nos cafés da baixa funchalense, acaba de partir definitivamente.
Ontem, aquela figura emblemática da capital madeirense assistia a um jogo de futebol no televisor instalado numa esplanada central quando se sentiu mal a ponto de ser transportado de ambulância para o hospital.
O resultado é o pior possível: Joaquim da Luz já náo está entre nós.
Desde que em 1987 trocou a sua cidade natal, Faro, pelos ares funchalenses, o Joquim juntou incontáveis amizades que perduram ainda hoje. Não havia quem não conhecesse o 'pintor retratista' com o seu cavalete permanentemente montado na esquina da 'Mundus', em frente à Sé. Pelas mesas do Apolo e do Café Funchal, centrou e animou diariamente conversas sobre as mais variadas temáticas, com figuras de todos os escalões etários e sociais.
A esta hora, o cavalete do Joaquim permanece na esquina do costume, solitário, sem dono, desalentado, chocado. Como nós. 





quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Futebol e política

Espectadores reais em Madrid ou ilusão de óptica?

Chega-nos a informação de que pode haver um encontro de terceiro grau no Estádio do Real Madrid, à margem da partida para a Taça do Rei a começar dentro de minutos.
O nosso agente K7 fez-nos chegar um despacho dizendo parecer-lhe ter visto, em zonas diferentes do estádio, Jaime Ramos e Miguel de Sousa. Não explicou se algum ia para a geral e outro para os camarotes.
Bom, sabíamos que Miguel de Sousa, depois da bronca no parlamento com o líder do grupo laranja, sairia para o estrangeiro. Mas não se tratava de Espanha. Pelo que julgamos, esta ida à capital de Ronaldo faz-se como passagem no caminho lá para as Áfricas.
Qunto a Jaime, desconhecíamos a viagem.
Não sabemos se K7 está bem da vista ou se anda a ver fantasmas nesta sua passagem também por Madrid.
A ser verdade, oxalá não se encontrem, naquele terreno neutro, Miguel de Sousa e Jaime Ramos. A menos que decidam seguir os dois para uma night, não à espanhola, mas à boa portuguesa, com muita comida e vinho verde.
Que melhor ocasião para fazer as pazes?

Sabotagem

Ainda insatisfeitos com as infomanobras para perturbar o circuito dos comentários na Fénix, os especialistas atingiram o próprio blogue, via computador. Cá estamos a comunicar pelo tablet, enquanto tratamos do necessário conserto. Não demora muito, senhores piratas ao serviço das Angustias. Até daqui a pouco.

Informação 'Fénix'



Comentários desviados


Muitos comentários enviados para este blogue têm ficado pelo caminho. Conforme vamos explicando em particular a alguns Leitores prejudicados, o caso é que certos especialistas na sabotagem informática continuam a encharcar-nos o mail - e o blogue - com comentários sem nexo, apenas para danificar o circuito. São centenas e centenas de nível spam... por hora.
Como não temos meio de contrariar a 'gandulagem' que faz o servicinho sabemos a quem, pedimos desculpa e compreensão aos Amigos e aos Inimigos da 'Fénix' nesta fase impedidos de nos fazer chegar os seus textos.
Esperamos que os piratas da net ao menos se divirtam enquanto não se cansam de importunar.

Madeira ao Vivo



Caçadores 'caçam' lixo

Quem andou no passado domingo pelas alturas do Paul da Serra localizou alguns caçadores da zona oeste da ilha vasculhando o terreno mas com uma descontracção pouco usual. Porquê? Porque, desta vez, os coelhos e mais bicharada podiam contar com um dia tranquilo. Os homens andavam lá por cima numa operação de limpeza: cartuchos, buchas, plásticos, garrafas, eles varreram essa lixeira da zona toda.
'Assim, sim' - como dizia a campanha pró-ambiente dos anos 80.


Madeira ao Vivo



CARROS DO DESGOVERNO EM QUARENTENA

Também por causa dos custos do seguro, há muitos automóveis particulares encostados às boxes. É o que releva o DN na sua edição desta quarta-feira. De facto, as ruas estão desertas e quase dá saudades daqueles engarrafamentos intermináveis na Avenida do Mar (só as obras atrapalham agora), na Rua do Aljube, no Bom Jesus, 31 de Janeiro...
Além da ausência de lata comprimida, nota-se a facilidade que se encontra para conseguir parcómetro. A qualquer hora do dia, são vagas umas em cima das outras. 
Quanto às estações de serviço, aquilo agora é chegar e abastecer, sem delongas. Haja dinheiro.
Outro indicador da falta de tráfego automóvel é o desespero dos polícias - alguns como o Vaitreze - para arranjar um carrinho mal comportado ao qual passar a respectiva multa.

Mas o que nos traz aqui hoje é uma vertente complementar a essa, no campo automobilístico regional: os carros do desgoverno que vão dando entrada no parque da Cancela já ficam lá encostados, sem 'tratamento', por falta de verba. É uma lataria no parque do governo jamais vista. 
Um dia destes, quis-nos parecer que a estátua da Autonomia, que como se sabe foi jogada para o meio da sucata enquanto as lagartas remexem o aterro e as fozes, verteu umas lágrimas ao perceber a profunda crise desta terra reflectida naquele parque automóvel que tresanda a decadência. Tanto assim que alguém de atreveu ao acto caridoso de vendar os olhos à coitada da estátua, para não sofrer mais com o panorama.

Pois se o próprio espírito de Autonomia que tínhamos também já fechou os olhos, que os infernos tenham dó!...

Entretanto, há gente na diligente administração regional que, se andar um bocadinho 'a butes' enquanto as viaturas se encontram de quarentena, até ganha um pouco em saúde.

Madeira ao Vivo






Banana para compota... e o agricultor sem 'provar'




Chegou à 'Fénix' a informação de que a Gesba - Empresa de Gestão do Sector da Banana, Lda., vende calda extraída de banana inferior, em termos de tamanho, a um empresário canariano que por sua vez, e com base na dita calda, fabrica compota para comercialização.
Aparentemente, o negócio merece palmas, sem hesitações. Só que, em certos casos, o agricultor que dá o cabedal na terra nem vê a sua banana com as condições referidas chegar à balança. Então, fica sistematicamente a apitar quanto a receber o que lhe é devido.
Se o circuito está montado como nos disseram, convém quem o dirige 'meta a mão na consciência' e satisfaça os seus compromissos. Porque o agricultor já é suficientemente prejudicado mesmo sem expedientes extras.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Madeira ao Vivo



VIAGENS POR CAUSA E APESAR DA CRISE

Depois da simulação na semana passada, parece que 'Meio Chefe' descolou esta segunda-feira de regresso à sua vida europeia com base em Bruxelas. Uma pessoa já não sabe o que dizer, já que o homem de vez em quando finge que arranca e fica no mesmo lugar, preocupado que se confessa com a questão da segurança. 
Não é por acaso que as suas viagens se cobrem normalmente de um opaco manto de secretismo. Sabe-se lá se não haverá terroristas da Al-Qaeda em guarda, na expectativa de atentar contra o rei da tabanca e chamar as atenções do mundo para as causas que Bin Laden defendia...
'Meio Chefe' não brinca com as questões de segurança e, apesar de voar na área vip, também se interessa com os perigos que possam ameaçar a parte traseira do avião. É tudo gente.
Se realmente se encontra em Bruxelas, o caixeiro-viajante cá do musseque aproveitará para ir a uma ou outra reunião da UE, já que nesta altura do ano falta cabimento razoável para um saltinho à terra do pai natal.

Apesar da crise, 'Meio Chefe' lá se movimenta nos seus domínios europeus - se não é novo truque -, mas espera-se nova e rápida visita ao Funchal por ocasião dos desfiles de carnaval.

...E por causa da crise, foi o vice do desgoverno jardineirista quem seguiu esta terça para Lisboa. Mas não terá tempo para uns copos na night da 24 de Julho, porque amanhã precisa de regressar ao gabinete da Av. Zarco, já que a vida em Lisboa está cara e Victor Gaspar repara no turismo dos executivos.
Assim, depois dos assuntos a tratar na capital, ala para o Funchal que se faz tarde. João Cunha e Silva não é de se perder nos 'elefantes brancos', mas uma noite de fados ou no disco a abanar o capacete não faz mal a ninguém.
Não pode ser, paciência. Há discotecas na Calheta. Cuidado é com o popó, depois de umas 'bijecas'. Ninguém é santo e as rotundas da Madeira Nova lá pelo oeste são ratoeiras particularmente traiçoeiras.


Madeira ao Vivo


RECANTOS


Rua da Levada - 29 Janeiro 2013

Delírios da Madeira Nova


SEGUREM-SE: NÃO É O FIM DO MUNDO, MAS PARECE


A 'Meio Chefe' deu para fazer concorrência à extrema esquerda.


Há coisas inadmissíveis! Uma indivídua da Serra d'Água, só porque tem um cartão de 'filiada' no PSD, arvorou uma 'peixeirada' numa reunião, com o argumento de que tinham sido 'beneficiadas' com habitação para desalojados das intempéries, pessoas 'de outros partidos', no dizer dela. Como se não houvesse igualdade de direitos e deveres!... Continua a existir gente no PSD, por interesse, e que já lá não devia estar há muito tempo.

Antes do mais, um ponto de ordem: a prosa de abertura deste artigo não é de autoria nossa. Não, também não saiu da pena do bloquista Roberto Almada. Nem de Hélder Spínola, do PND. Muito menos do kamarada Leonel Nunes ou do socialista  Carlos Pereira.
Podia ser de qualquer um deles, uma vez que no texto se denuncia manifestamente para que tem servido a militância no PPD ao longo de quase 40 anos. Mas não. Aqueles gatafunhos passados a letra de forma pertencem nada mais nada menos do que ao 'Meio Chefe' das Angústias - como alguns dos nossos mais perspicazes Leitores perceberam pelos pontapés na gramática da escrita, começando logo pela colocação das vírgulas.

Mas que é que é isso? 'Meio Chefe' a confessar que no 'partido do Lazareto' entrou gente apenas à procura de direitos e dispensa dos deveres?! Que na Rua dos Netos alapou escumalha apenas "por interesse"?!
Se não estamos perto do fim do mundo e às portas do Inferno, não deve faltar muito. Custa-nos acreditar que aquele post-scriptum na catarse de sua excelência no ex-JM desta terça não haja sido aposto clandestinamente por algum comuna infiltrado, com a sinistra intenção de meter mais pedra na engrenagem do regime. 
O facto é que, até agora, não colocaram nenhuma nota no 'on line' do ex-JM a desfazer a tomada de posição do soba.

Percebe-se evidentemente que o artigo antes do arrasador P.S. (salvo seja) traduz a verdadeira linha do pensamento jardineiro, que como todos sabem não é linha recta.
Desta vez, antes de falar na tal "igualdade de direitos e deveres", o rei da tabanca bate com toneladas de maniqueísmo anacrónico em cima da cabeça dos madeirenses [que aguentam ler aquilo]. Ele acha que de um lado estão os puros social-democratas (os tais 'interesseiros') e do outro lado quem não pensa como ele, rei da tabanca.
No mesmo artigo, o raio do velhote condena o diário da Casa Blandy mais a RTP/RDP, por, a seu ver, trabalharem ambos ao serviço do 'pensamento único' - no contexto da mundialização económica e política.
Desta baralhada, podemos retirar talvez que só há um 'pensamento único' democrático e amigo da Madeira: o dele.

Caros Leitores, a ideia de 'Meio Chefe', com mais este artigalho cheio de incongruências e palha para burros, é mostrar a pureza do partido dos 'interesseiros' social-democratas perante os opositores que ensaiam a coligação no Funchal. 
Mas, por favor, quem quiser que vá ler a estapafúrdia peça. Já ultrapassámos os limites da nossa paciência. Peguem no ex-JM e leiam. Não há pachorra. Dêem-nos uma folga.


segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Delírios da Madeira Nova




Descobrimos o porquê do 'esgotamento' 
da edição dominical do ex-JM


Manuel António provocou uma desenfreada corrida às bancas (não aos bancos) ao 'enaltecer' o projecto estruturante 'do poio ao prato' a partir da batata doce e da maçã (obviamente regional).


Sabendo embora desgostar os Leitores da 'Fénix', que nos têm zurzido as orelhas cada vez que aqui reproduzimos  um qualquer naco de prosa do ex-JM, não conseguimos evitar mais esta referência. É que só agora nos chegou às mãos um exemplar do procuradíssimo jornal do 'Meio Chefe', edição de domingo. E impõe-se avançar com duas ou três larachas.
Passámos o domingo intrigados, na vã procura de um exemplar do dito-cujo.
Mas onde é que haveríamos de encontrar o diacho do ex-JM em papel?
Se a tiragem desaparecera do circuito era por causa certamente de novidade grossa.
Só há poucas horas, todavia, depois de muitas cunhas, conseguimos o almejado exemplar (já embrulhava espada).
Que raio de tão importante viria ali que...?

Manuel António na capa! Já palpitávamos que isto aconteceria mais tarde ou mais cedo, desde o instante em que vimos o vice Cunha e Silva em duas peças numa só edição do festejado jornaleco, a semana passada. Sim, Manuel António haveria de arranjar tamanha 'cacha' que se vingaria com juros do destaque alcançado então pelo vice.
Eis-nos, pois, com a edição dominical nas mãos, mesmo sem termos ido à missa.
Que 'cacha' temos aqui?

"Inovação com tradição" é, nem mais nem menos, a manchete ilustrada com uma foto do nosso Amigo Manuel António Correia.
Mas não vá por aí, Leitor. Também íamos, enganados. Ao contrário do que também pensávamos, Manuel António Correia não está no jornal anunciando mais uma vez a sua 'inovadora' candidatura a patrão do PPD... com apoio do 'tradicional' 'Meio Chefe'. 
Também não se está ali a dizer o contrário disso. Não se está a dizer que afinal 'Meio Chefe' será o 'inovador' recandidato em 2014 e Manuel António Correia o 'tradicional' candidato adiado.
Então a que propósito surge essa manchete, gaita?

Saiba o Leitor: essa manchete surge porque Manuel António 'enalteceu' um projecto que 'envolve a Universidade da Madeira e a Associação de Agricultores'.
Perante esta notícia (como é que não ouvimos falar dela no próprio domingo?), os comissários do ex-JM não tiveram alternativa senão dizer à redacção: 'Cavalheiros, está encontrado o fundo para amanhã!'
É que, além de 'enaltecer' o projecto em questão, o secretário do Ambiente ainda o considerou 'estruturante', por se basear no trajecto 'do poio ao prato'.

Raio de 'projecto estruturante'... - resmungará algum leitor. Pois é questão de ler o desenvolvimento da notícia. A bomba do 'enaltecimento' manifestou-se num 'almoço de degustação', em resultado da brilhante ideia de associar dois produtos regionais na cozinha: a batata doce e a maçã regional. 
"Manuel António esteve presente e fala em projecto estruturante" - perspicaz conclusão do ex-JM.
Julgo que esta manchete esteve na origem do eclipse da tiragem do ex-JM, já que não conseguimos vislumbrar um só exemplar no dia certo. 
A nosso ver, porém... perdidos por perdidos, puxaríamos para título principal de primeira página uma notícia que vem escondida num cantinho inferior da página 2. Foi aí que soubemos da deslocação de Manuel António à Calheta para visitar umas quantas veredas... recuperadas no Jardim do Mar. Não se trata de um acontecimento de caracacá. A visita teve honras de acompanhamento pelo presidente da câmara da Calheta e pelo presidente de junta da freguesia local.


Ambiente




PITEIRAS



Piteira (Agave angustifolia ‘Marginata’)


A Agave angustifolia ‘Marginata’ é a variedade hortícola duma piteira semi-lenhosa, de caule curto, originária do México e das Antilhas.
É uma espécie monocárpica, o que significa que só produz flores uma vez. Assim sendo, estas plantas que estão a florir no Largo da Paz em breve morrerão, mas antes os bulbilhos, que se formam na enorme haste após as flores, garantirão a sua multiplicação.
Saudações ecológicas,
Raimundo Quintal







Porto Santo




Principal estação de combustível fechada




Esta terça-feira ou na quarta, haverá reunião entre a gerência da empresa Guilherme Alves Lda e a administração da Galp. Ordem de trabalhos: negociar a renovação do contrato de venda de combustíveis no Porto Santo. À primeira vista, tudo normal. Mas, no terreno, a situação é embaraçosa: a principal estação gasolineira na pequena ilha encontra-se fechada e só reabrirá caso as negociações cheguem a bom termo. Se sim, os automobilistas locais poderão abastecer logo no dia seguinte. Se não...
Se não, o recurso é uma segunda estação existente no Porto Santo, mas cujos horários baralham os consumidores. Estes queixam-se de que essa segunda 'bomba' faz lembrar serviços do género prestados... no interior de Marrocos.

Para que os porto-santenses não sintam cair-lhes em cima um problema a juntar a tantos outros que só são falados na época balnear, quando os sobas da Madeira aterram no areal armados em amigos da população local, fazemos votos para que o diacho da gasolina seja de fácil acesso. E já. 
Entendam-se lá nessa reunião, se fazem favor.





MAIS UMA JORNADA DE PLANTAÇÃO NO CABEÇO DA LENHA E NO PICO DO AREEIRO





Sábado, 30 voluntários da Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal Desta trabalharam afincadamente no Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha e no Pico do Areeiro. Com muito cuidado e carinho, colocaram no solo cerca de 700 plantas provenientes do viveiro da Associação e de um viveiro da Direção Regional de Florestas (Casa Velha), de nove espécies da flora madeirense: Loureiro (Laurus novocanariensis), Faia-das-ilhas (Myrica faya), Sanguinho (Rhamnus glandulosa), Cedro-da-Madeira (Juniperus cedrus subsp. maderensis), Roseira-brava (Rosa mandonii), Estreleira (Argyranthemum pinnatifudum subsp. pinnatifidum), Gerânio-da-Madeira (Geranium maderense), Doiradinha (Ranunculus cortusifolius) e Aipo-do-gado (Melanoselinum decipiens).
Sugiro uma visita à galeria fotográfica sobre esta e outras das atividades da Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal na sua página no Facebook: http://www.facebook.com/amigosdoparque?ref=hl
Saudações ecológicas,
Raimundo Quintal

Madeira ao Vivo


Obras do Savoy seguem a ritmo normal

Os trabalhos de construção do futuro hotel Savoy continuam segundo o ritmo do país e da região: parados.
O nosso agente K7 infiltrou-se na zona das obras e constatou que aquelas hipóteses de pilares e os ferros espetados continuam como há meia dúzia de meses, só que mergulhados em caliça e ferrugem.
Evoluir, evoluir, apenas as plantas silvestres, eufóricas com o terreno livre para se desenvolverem.
E não se faz ideia de quando a situação possa ser desbloqueada.

Agora, experimente o Caro Leitor fazer um arranjo em casa sem 'todos os matadouros' exigidos pelas rigorosas entidades competentes, a ver as multas que lhe chegarão pelo correio.
Ou então, espalhe por aí que haverá dinheiros públicos para o Savoy. Às tantas, a obra ainda ultrapassa o aterro, em velocidade.














Madeira ao Vivo


VASCO MEL(IM) 



O Sr. Vasco Melim, que foi tesoureiro do Marítimo na passagem dos regionais para os nacionais, em setentas, é o nome de proa no 'Engenho do Mel'.



O célebre 'Engenho do Mel' está representado em mais uma das feiras de oportunidades que animam periodicamente a Manuel Arriaga. O proprietário da 'Fábrica Mel de Cana Ribeiro Seco', Vasco Melim, é o continuador de uma obra nascida em 1883 e depois dinamizada por Luís Vogado, com apogeu nas primeiras décadas do século passado.

O sr. Vasco Melim foi tesoureiro do Marítimo nos heróicos tempos da passagem dos regionais aos nacionais. Então, porque não havia moda de subsídios oficiais, urgia reunir dinheiro para cobrir as despesas do clube e ainda para pagar viagens e estadas às equipas adversárias e aos árbitros. Um vexame à Autonomia a que os sócios do Marítimo e figuras como Vasco Melim, José Miguel Mendonça e Adelino Heliodoro Rodrigues deram a resposta precisa.

Na vida profissional, Vasco Melim também vingou. A sua Fábrica, popularmente conhecida por 'Engenho do Mel do Ribeiro Seco', tem um historial que se confunde com a saga da cana-de-açúcar na Ilha da Madeira. Quem quiser conhecer a evolução desses acontecimentos vividos apaixonadamente pelos nossos antepassados, pode consultar o site do 'Engenho' - http://www.fabricaribeiroseco.com/quem-somos


domingo, 27 de janeiro de 2013

Ambiente

FEIO E PERIGOSO





Recentemente o governo regional produziu a mais incrível lei da legislação portuguesa. Ruas da cidade do Funchal foram transformadas por decreto revanchista em estradas regionais.
As ruas do Oudinot e do Anadia passaram num ápice a troço ascendente e descendente da estrada regional 118.
No centro da estrada regional situa-se a ribeira de João Gomes, um desprotegido reservatório de gás e uma coisa nojenta infestada de malpica ou amor-de-burro.
Ali à porta do Mercado dos Lavradores, visitado diariamente por imensos turistas, o governo conquistador de ruas mantém irresponsavelmente uma coisa feia e perigosa.
Até acontecer uma desgraça!
Saudações ecológicas,
Raimundo Quintal


Política



MIGUEL DE SOUSA DECIDIDO
A PROCESSAR JAIME RAMOS



...Mas, com toda a franqueza, o melhor é o vice da ALM voltar destes dias no estrangeiro com as ofensas de Jaime esquecidas. Se espera que os deputados testemunhem o que ouviram ou que 'Meio Chefe' deixe o Conselho Jurisdicional fazer justiça...


Por melhor confidente que Miguel seja de 'Meio Chefe', as coisas mudam quando no outro lado está mestre Jaime. (Foto GREGÓRIO CUNHA)



Está para breve a entrada de uma queixa de Miguel de Sousa nos competentes órgãos do PPD-Madeira. Ao que chegou de novo à 'Fénix', esses competentes órgãos dispõem de elementos indiciadores de que o vice da Assembleia Legislativa Regional avança mesmo com um processo interno contra o líder parlamentar Jaime Ramos, na sequência dos incidentes de que damos conta em artigo anterior.
Ao que se diz nos corredores do laranjal, os estatutos do PPD-M, que supostamente guiaram a recente expulsão de Costa Neves, nada impõem em termos de castigar eventuais atitudes de indisciplina. Mas os estatutos nacionais são claros na matéria e seria por essa via que Miguel de Sousa tentaria resgatar a sua honra explosivamente ofendida pelo secretário-geral em plena reunião do grupo parlamentar.

Da nossa parte, e embora seja certo que de momento a disposição de Miguel de Sousa vai no sentido de avançar mesmo com a queixa, julgamos que a questiúncula ficará por aqui.
Já repararam no silêncio dos deputados que ouviram os insultos ao vivo? O seu pavor de Jaime Ramos é de tal ordem que ninguém se manifesta. Nem uma voz solidária com Miguel!
Sim, teria muita graça que o processo avançasse, a ver que diriam aquelas vedetas quando chamadas como testemunhas.
- Quem ofendeu quem? Se calhar foi quando me dirigi ao WC... ou quando peguei no meu tablet à procura da previsão do tempo...

A crua realidade aconselha: se o vilipendiado não quer dar ainda mais espavento ao vexame que lhe caiu na carreira política, é esquecer o que se passou, engolir em seco todos os olhares e continuar como se nada houvesse acontecido.
É que ainda falta o posicionamento do 'Meio Chefe': tratando-se de Jaime, o raspanete ainda vai para o ofendido... 

Miguel de Sousa está no estrangeiro, estes dias. Pois que se divirta de modo a deixar para trás o que ouviu na ALM e concentrar-se em coisas mais interessantes do que alimentar processos em que, por mais razão que tenha, laboraria numa causa perdida. 
Miguel de Sousa é um dos ases do madeiranovismo, conhece melhor do que ninguém o funcionamento da engrenagem.



sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Política das Angústias / SÁBADO




TARDA O PROCESSO DE EXPULSÃO DE JAIME RAMOS



O Conselho de Jurisdição parece dormir na forma, Dr. Prada


Não é fácil dirigir um processo em que o arguido se pode vingar do CJ com uns berros na reunião de grupo parlamentar, mas são ossos do ofício. 



Os dias vão passando e não se vê qualquer movimentação do assaz diligente órgão punitivo do PPD-Madeira no sentido de expulsar Jaime Ramos do partido.

Parece estarmos a ouvir já o nosso Amigo José Prada, presidente do Conselho Jurisdicional das galinhas loucas: 'Oh homem, então vamos tratar de um processo que ninguém nos pediu para abrir?'
Tem certa razão. Mas estamos a falar de política, Doutor. Política partidária. E o Amigo causídico não estará certamente à espera que o seu 'Meio Chefe' mande avançar disciplinarmente neste caso em que o autor da bronca é alguém - Jaime Ramos - que não o deixa a ele, 'Meio Chefe', muito à vontade para o demitir, expulsar ou sequer afrontar com uma pequena descompostura.
Logo, o CJ deve servir de conselheiro como no caso de Costa Neves, quando o rei da tabanca perguntou ao Dr. Prada e colegas do citado órgão se a expulsão do vereador tinha 'pés para andar'.
Como órgão importante do partido, o CJ deve zelar, discretamente, para evitar injustiças. Trata-se, pois, de dar um salto às Angústias e fazer ver a sua excelência que rebentou um caso parecido ao de Costa Neves.
Assim:
Costa Neves arrasou as obras do aterro e projectos para as fozes das ribeiras, lamentando que, depois das asneiras, ninguém fosse preso ou demitido.
'Meio Chefe', que já leu artigos atrevidos como aquele de Sara André denunciando a existência de corruptos dentro do seu PPD, abespinhou-se com as declarações do vereador - ou não fosse este um apoiante declarado de Albuquerque. 'Processo com ele e toca a pô-lo na rua do partido!' - sentenciou rei da tabanca.

Pois aconteceu agora saber-se que Jaime Ramos, entre muitas outras grosserias, chamou "chulo" a Miguel de Sousa, e diante de companheiros de partido.
Jardim acusou Costa Neves de ofender os membros do governo, já que a ideia de eles irem presos tinha significado evidente.
O caso de Jaime é mais grave, por mais abrangente: dizer que Miguel de Sousa é "chulo" equivale a considerar que o partido, enquanto entidade colectiva, proporcionou carreirismo de chulice a um presidente da JSD-M, secretário regional, vice do governo, vice do parlamento, vice da comissão política... Uf! Portanto, esse partido, com 'Meio Chefe' à cabeça, permitiu tal vida em grande, a chular os dinheiros públicos. 
Ora! Quem diz Miguel de Sousa, diz evidentemente centenas de companheiros nas mesmíssimas condições do que ele, actuais e passados. Ou seja: o partido dos chulos vive da chulice há 36 anos, no ver de Jaime.

Já com o processo em curso, o CJ achou mal que Costa Neves, em vez de se retractar, insistisse na ideia 'ofensiva' que apresentara, manifestando, ao mesmo tempo, total desprezo pelas medidas que o partido entendesse tomar.
Ora, Jaime Ramos, que até podia sem espanto desenterrar mais um 'lapsus linguae' para 'descalçar a bota' e deixar tudo em ponto morto, pelo contrário mantém-se firme na posição de ataque a Miguel de Sousa. A Miguel e às tais centenas de PPD's como ele, incluindo sua excelência o rei da tabanca. 
Isto é: se o CJ não é chamado a trabalhar na presunção de que Jaime Ramos afinal falou verdade, então 'Meio Chefe' Alberto João Jardim não é menos chulo - e 'vadio', como reforçou Jaime - do que qualquer outro barão sibarita do partido.
Sim: nesse capítulo e noutros, afinal que tem o soba de melhor do que os madeiranovistas que a autonomia deparou a esta desgraçada terra?

Em suma, Dr. José Prada: ponha esse CJ a mexer, porque o tsunami já lhe ameaça os pés. Em frente. Com Costa Neves era mais fácil? Olhe que Jaime também já esteve melhor com o patrão das Angústias, acusado que se vê agora de não ter dado o litro nas eleições internas contra Miguel Albuquerque.
Com Jaime, é verdade, 'Meio Chefe' não se sente muito à vontade, mas é uma questão de experimentar.



quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Delírios da Madeira Nova



ESTA GENTE ANDA BEM?





À atenção do secretário da Saúde: 
É certo que Lisboa já retirou todos os dossiers de responsabilidade às garras desta gente. Mas, dr. Jardim Ramos, ponha o seu pessoal a seguir de perto a desgovernação de que V. Ex.ª faz parte.
Estas imagens indiciam que temos à solta indivíduos manifestamente perigosos.
E não venha dizer que isto é ensaio para o Carnaval, porque o Trapalhão tem outra qualidade.
  

Delírios da Madeira Nova


MAIS UM FARTOTE DE PLURALISMO À JM



Se isto não é pluralismo, onde está o pluralismo? E, com esta embalagem, 'Meio Chefe' manda comissários e sibaritas, contratados às suas ordens mas pagos por nós, calibrar cada título, cada artigo, cada página, cada edição do ex-JM de modo a fulminar os detractores que 'querem fechar o jornal'.
É assim que... Querem pluralismo? Vai disto!



Podia-se ver 'Meio Chefe' não saudar o cara-de-pau do Boliqueime, provinciano como ele e que lhe gaba o perfil de 'obradeiro' da Madeira Nova? 


Uns elogios também a Jaime Gama e a certas biscas que empestam as dignas Forças Armadas não destoavam aqui. 


O pluralismo continua.

Não dá para perceber?

Então, mais estes bonecos!



Nunca falta um cantinho para a deputação laranja.

Muito menos para o nosso MacGyver em serviço permanente.

Apanhando Manuel António distraído, eis o Vice.


E mais Vice. É aproveitar a distracção.

E sua majestade parlamentar, que nos últimos dias tem amanhecido na casa da democracia, o que espanta os funcionários. Já agora, vai Garcês.

Mais laranja!

E mais laranja!

E mais... Irra!

E ainda Garcês, a meter a troika na ordem.

E Jaime Filipe, nas suas contabilidades.

Conceição Estudante, pois então!

Até o presidente da Câmara... Ei, houve engano do paginador. Despedimento à vista!

Bruno em campanha. O seu slogan deve mostrar que nunca viu Jardim na sua vida, se quiser ter hipóteses.

Pois se o homem quer... é uma ordem!

Ei-lo de novo! E com tropa duvidosa! Porra!



Atenção que não apresentámos aqui a revista de imprensa de um mês. Isto é só JM e numa única edição, a desta quinta-feira!

Gozávamos acima: se isto não é pluralismo...
Pois é. Pena é não ser o partido das galinhas tontas a pagar este tipo de pluralismo. O 'Madeira Livre' não lhes chega.