sexta-feira, 29 de março de 2013

POLÍTICA



EURODEPUTADO NUNO TEIXEIRA 
DÁ ENTREVISTA AREJADA




Já estávamos de mala pronta para o retiro pascal, eis que a RTP-Madeira lança, nesta noite de quinta-feira, uma entrevista com Nuno Teixeira, deputado ao Parlamento Europeu eleito pelo PSD. E esse ponto da programação  obrigou-nos a horas extras.
Não nos surpreenderam a desenvoltura, a facilidade de comunicação e os conhecimentos das matérias revelados por Nuno Teixeira na conversa conduzida pelo jornalista Virgílio Nóbrega, porque já conhecemos de há muito as qualidades do entrevistado. Mas fomos registando. Mais uma vez. A resposta pronta sobre dossiers pendentes, envolvendo a Região, o País e a União Europeia. A consistente abordagem ao estado de coisas internacional, nacional e regional. Com espontaneidade. Versando criticamente situações e temas, assuntos e problemas, não a intriga e as excrescências. Interessa o país, não a gravata do ministro.
O eurodeputado nem sequer hesitou quando o jornalista puxou para o sempre actual problema da sucessão no PPD-Madeira. Nuno Teixeira exprimiu clara e objectivamente os pensamentos próprios, sem tratar de calcular a reacção dos importantes fósseis político-partidários ou dos meros caracteres cristalizados que por aí campeiam. 
Contrariou desassombradamente a tese de que deve haver um candidato único à liderança do partido, com todos à sua volta. Já o dissera no congresso, porém falou agora para os madeirenses em geral. Fazendo questão, inclusive, de rejeitar a divisão do PPD em duas partes em função dos resultados das eleições internas. Já existem dois candidatos, é verdade, o do líder Jardim mais Miguel Albuquerque. Mas o entrevistado não se acomodou na neutralidade ou na promessa de apoio ao escolhido do grande chefe. Pelo contrário: haverá mais candidatos, avançou, e o vice Cunha e Silva será um deles.
Cunha e Silva será um deles... com o apoio de Nuno Teixeira, esclareceu o próprio eurodeputado, na televisão.
Enfim, uma entrevista muito clara. Não tem nada de especial dizer o que se pensa? Sim, depois do que se televiu, até parece fácil. 
Mas há departamentos do laranjal decadente que se remexeram esta noite, soltando mofo e disfarçando a raiva.

quinta-feira, 28 de março de 2013

ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS



LISTA PPD-SANTA CRUZ AINDA VACILA

Será possível Savino ainda mudar de candidato à Câmara para candidato à Assembleia Municipal?



As últimas que nos chegam do Leste da ilha, embora sem certezas absolutas, dão que pensar. Segundo perpassa pelas hostes social-democratas, Savino Correia talvez ainda consiga livrar-se de encabeçar a lista que o partido vai candidatar à Câmara Municipal, obrigando assim Martinho Gouveia, por enquanto número 2, a substituir o número 1. Reviravolta que seria complementada com a passagem de Savino para candidato à presidência da Assembleia Municipal.
Fontes laranja do concelho pressentem que, numa nova ronda pelas freguesias prevista para a próxima semana, Savino e Martinho explicarão estas supostas alterações aos militantes.
A troca de candidatos resultaria da insistência de Jardim no avanço de Martinho, para o que conta com a anuência do próprio Savino Correia. De resto, é o candidato do Santo da Serra quem se tem revelado mais activo no processo, inclusive na escolha de nomes para as listas, embora se saiba que não lhe é particularmente apetecível o cargo de presidente da Câmara. Mas julga-se que, perante as insistências, ser-lhe-á difícil rejeitar a candidatura enquanto cabeça-de-lista.
A tarefa do laranjal santacruzense afigura-se complicada. Não esqueçamos que o favoritismo à vitória em Outubro continua do lado da formação JPP - Juntos pelo Povo. Tanto assim que PS e PP nem sequer equacionaram a possibilidade de concorrer naquele concelho.




BOAS FÉRIAS DA PÁSCOA




Caras Leitoras, Caros Leitores, o tempo é de desfrutar uns dias de merecida balda.
É aproveitar, porque não sabemos se haverá mais.
Boas férias a todos são os desejos dos mais chegados colaboradores do 'Fénix'.
Adeusinho.

Nota - O Coelho da imagem não é Passos.

quarta-feira, 27 de março de 2013

DELÍRIOS DA LUSITÂNIA


SÓCRATES VEM AGITAR O LUME NO 'INFERNO DE DANTE'




Cavaco Silva e Passos Coelho, pelo menos, podem contar com as orelhas em brasa nos próximos tempos. Sócrates voltou a terreiro para se vingar dos 'embustes' criados para lhe denegrir a imagem. E fá-lo sem receber caché pelo comentário semanal na RTP. A 'Divina Comédia' em que se tornou Portugal e suas adjacências promete. 


Ninguém precisa de ter medo dos comentários de José Sócrates na TV, que começam em Abril, esclarece o próprio. A não ser os que receiam a democracia. Isso diz ele. Porque, tomando por base a entrevista desta quarta à noite, Cavaco Silva e Passos Coelho, gostem de democracia ou não, têm razões de sobra para estar apreensivos.
O Presidente da República ouviu das boas já nesta ante-estreia do show: que não tem autoridade moral para dar lições de lealdade a ninguém, que teve responsabilidades no célebre caso da conspiração governo-Belém, que cometeu a vileza de atacar Sócrates quando este se demitira e remetera ao silêncio, que assumiu fazer de oposição ao governo socialista quando tomou posse e que aplica dois pesos e duas medidas ao aferir o governo anterior e o actual.
Quanto a Passos Coelho, é um primeiro-ministro que veio para 'empobrecer o país' e 'aconselhar os portugueses a emigrarem'. Palavras frias de José Sócrates, hoje.

O ex-primeiro-ministro apenas reconhece o erro de ter aceite formar um governo minoritário. Perdeu força, com tal pontapé na gramática. 
O resto que se lhe atribui resulta de embustes engendrados para o denegrir. Que embustes?
Primeiro: que na crise política do seu tempo os problemas do país eram culpa do governo e não da conjuntura internacional.
Segundo: que o seu governo foi o culpado de Portugal recorrer a ajuda externa, quando tudo resultou, diz Sócrates, do chumbo ao PEC 4.
Terceiro: que actualmente está a ser aplicado o memorando assinado por Sócrates/Teixeira dos Santos, quando esse dito memorando foi completamente alterado.
O antigo governante agarrou-se à oportunidade da entrevista para contra-atacar os autores desses embustes, depois de justificar o porquê de ter acedido à proposta da RTP para fazer comentário político.

Há um tempo para o silêncio e há um tempo para falar - disse ele a propósito. Pois é partindo desse pressuposto que José Sócrates resolve regressar à vida pública portuguesa. 
Há petições contra o seu regresso? Falta de espírito democrático. 
Sócrates tem uma péssima notícia para os detractores: vai usar o seu direito/dever de falar na TV queiram eles ou não queiram. E vai fazê-lo grátis, sem cobrar caché.
Foi o aviso que deixou.
Mas também descansou os portugueses que nele acreditam: não volta com ideias de concorrer a PR ou a primeiro-ministro, não alimenta planos ocultos.

Sobre o futuro do país, deixou dois conselhos: 1.º parar já com a austeridade, deixar de cavar mais o buraco; 2.º alterar o discurso pessimista.
É que, segundo a comparação de Sócrates, este governo PSD-PP podia entrar na parte 'O 'Inferno de Dante'. Dá tudo por perdido, sem salvação possível.

Ou muito nos enganamos ou este ex-primeiro-ministro vem na disposição de se afirmar como um temível espalha-brasas no inferno português onde todos ardemos.
Nada, aliás, que Cavacos, Passos, Gaspar e outros carrascos do género não mereçam.

Madeira ao Vivo



BRUNO AO SOM DO VIOLINO

O candidato PPD à Câmara do Funchal, Bruno Pereira, encontra-se neste momento (18h05) sentado à esplanada do Golden Gate à conversa com outro cavalheiro. E, segundo nos relatam desde o local, Bruno está pouco à vontade porque o violinista ambulante que ultimamente anima o concorrido local decidiu fixar a sua actuação naquela mesa. Não há maneira de mudar de sítio, e não acreditamos que se esteja a fazer a um lugar de vereador.
O candidato precisa de se habituar. Na pré-campanha e na campanha que se avizinham, ele será o centro das atenções. Será que tirará partido disso ou continuará um pouco atrapalhado? 

Delírios da Lusitânia



A GRANDE ENTREVISTA




Eis chegado ao telespectador o dia de ouvir, de viva voz, o ex-primeiro-ministro José Sócrates, já nomeado comentador da RTP. O País treme de norte a sul, socialistas incluídos. E com razões para isso.
Depois do que se passou durante alguns anos em Portugal, com o engenheiro a mandar no governo central, e pelo tão pouco tempo vivido desde que ele seguiu para um período de nojo em Paris, é obra o homem regressar já e pelo caminho mais mediático possível.
O socialista Sócrates reentra no rectângulo através da RTP, estação pública da tutela do governo PPD-PP-Miguel Relvas!
Rais'parta se não começamos a acreditar, finalmente, que o delírio do inquilino das Angústias a respeito das patifarias de maçonarias e trilaterais tem algum fundo de verdade!
Que estará por detrás deste regresso, imprevisto mesmo para os mais criativos?!
Será que se conseguirá descobrir alguma coisa na conversa que começa pelas 9 da noite?

Delírios da Madeira Nova



EX-JM FISCALIZA SEM TRÉGUAS
ACÇÃO DO DESGOVERNO REGIONAL


Edição de ontem



Edição de hoje




Edição de amanhã

População satisfeita com a situação dos 25 mil desempregados


OPINIÃO




A OBESIDADE DAS CARNES!

EMANUEL BENTO

Hoje a prolongar a demência e, sejamos honestos, a arregalar os olhos à nossa miséria, ficamos a saber, no matutino público mais caro do mundo, por aquele senhor perturbado, que alimenta a arara da  Quinta Vigia, a tal que fugia (esta parte foi-me dita pelo companheiro de pensamento – na verdade, ele bebia cerveja diante de mim), que havia mesmo o “Shangri-la” e, em vários lugares ao mesmo - ou seja, diz o meu incógnito amigo,  uma  papuda ubiquidade, «para o melhor o caracterizar», enquanto me pede, «encarecidamente, com medo de represálias», não digas quem sou -  só nos faltando optar pelas gajas de Leste (o Leste da Europa), que muito, facilmente, podemos encontrar nos bordéis, ou, num misto de sinédoque/metonímia, que nunca se sabe muito bem quando começa uma e a outra acaba, a Ásia, numa outra versão, mas já continental, dos mais de 6.000 ME, que custaram a “Singapura do Atlântico, querendo tudo isto, preto no branco, dizer que também podia ser Bora-Bora, aonde esse senhor e uma excursão  de temporários e, ainda hoje rechochundos, fieis, expuseram a obesidade das carnes, sem que, contudo depois deste realismo mais do que sujo onde todos vivemos, ninguém expulse este ser da Presidência do Governo Regional, mais que não seja por evidente dissonância cognitiva, a papagueada negação da realidade, sendo, e é isso que realmente deveria preocupar quem se preocupa com o presente e futuro das nossas ilhas, temerário, pensar no forçado,  mas também covarde, silêncio dos tais enriquecidos apaniguados, agora que tudo isto deu à costa!


AGRICULTURA



É SÓ BAGO... 



Novo mistério inquieta os agricultores que trabalham com bananeiras. Nem sequer se trata de os dois armazéns que recebem o produto, um em Santa Rita e outro na Madalena, estarem de portas fechadas ao mesmo tempo, para alguns consertos. A situação faz os homens da terra secarem longas horas com os camiões na instalação que existe para receber banana junto da Ribeira da Ponta do Sol. Mas casos desses são o pão nosso de cada dia cá na destravada Região Autónoma. Não há que estranhar.
Então que mistério temos no ar? 
Temos o mistério de, assim de um momento a outro, os cachos alegadamente se apresentarem com mais bago do que banana. Quando, acham os agricultores, os ditos cachos têm hoje as mesmíssimas características que tinham no tempo em que os animais falavam.

Mas é. Os funcionários da Gesba - Empresa de Gestão do Sector da Banana - procedem à pesagem e o agricultor recebe a informação de que o raio do cacho tinha mais bago que sabemos lá o quê. E, é claro, temos que a Gesba paga muito menos do que o previsto a quem andou no meio da terra trabalhando dia e noite.
É a queixa que nos chega daquele curioso faroeste madeirense.

A ser verdade que há uma deficiência qualquer para lá, a empresa que se organize para suavizar os procedimentos na pesagem. 
Anda tudo à procura de 'bago' nesta Madeira Nova, todos sabemos, porém o agricultor também tem direito ao que lhe compete pelo seu árduo trabalho.

AMBIENTE



AFINAL, QUANTAS PRAIAS SÃO?


Num momento de grande desafogo financeiro, a Vice Presidência do Governo Regional da Madeira acaba de afixar uma nova série cartazes gigantes com o objetivo de mostrar aos madeirenses e aos turistas a nova imagem do Funchal após a criação da baía “tetrapolégica”.
A “intervenção nos troços finais das ribeiras de Santa Luzia e João Gomes”, que, aproveitando a generosidade da Lei de Meios, inclui a construção dum novo cais para um navio de cruzeiro, uma marina e o “nascimento de novas praias”, está profusamente exposta nos tapumes espalhados desde o velho cais da cidade até à fortaleza de São Tiago.
Nos novos cartazes já aparece um navio na parte exterior do cais, cuja construção ainda não obteve o visto do Tribunal de Contas, e, pasme-se, apenas uma nova praia entre a futura foz unificada das ribeiras e a fortaleza.
No sítio da Presidência do Governo Regional da Madeira na Internet ainda se mantém o projeto divulgado a 15 de Fevereiro de 2011, que inclui 3 novas praias (figura 2). Nos cartazes, que estiveram expostos até à semana passada (figuras 3 e 4) surgiam duas praias. Nos novos cartazes (figuras 5 e 6) já só consta uma nova praia com o acesso implantado à frente do Hotel Porto de Santa Maria e um estranho traçado da foz do ribeiro da Nora.
Embora ciente que em resposta às minhas questões surgem habitualmente insultos anónimos, gostaria de saber se o que está a ser construído corresponde ao projeto adjudicado ou se, por imposição de fatores naturais e económicos, foram introduzidas alterações?
Afinal, quantas praias são?

Saudações ecológicas,
Raimundo Quintal

01-Intervenção nos troços terminais das ribeiras de Santa Luzia e João Gomes.

02-Projeto no Site da Presidência do Governo-15.02.11.

03-Projeto no cartaz exposto até à semana passada.

04-Projeto no cartaz exposto até à semana passada.

05-Projeto no novo cartaz.

06-Projeto no novo cartaz.

terça-feira, 26 de março de 2013

FUTEBOL






PORTUGAL 
CONSEGUE OBJECTIVO 
DOS 3 PONTOS
Bruno Alves e Hugo Almeida marcaram no segundo tempo e Portugal aplicou 2-0 ao Azerbaijão. Importante era trazer os 3 pontos e eles já cá chegaram. Não interessa agora historiar o desafio de hoje, se o futebol foi aos repelões, se aquela selecção cai a pique quando Ronaldo não joga e se só conseguimos marcar depois de o adversário ter ficado reduzido a dez.
O resto da prova trará grandes decisões e há tempo até aos próximos compromissos para Portugal justificar o lugar cimeiro no ranking mundial que ainda ocupa. 
Depois da vitória de hoje, o Brasil começa a estar à vista.

DELÍRIOS DA LUSITÂNIA



ELES CHAMAM-NOS PAPALVOS
... E COM TODA A RAZÃO


1. O seleccionador nacional insiste: não há jogos absolutamente decisivos; é claro, diz ele, que os candidatos a ir ao mundial precisam de ganhar, mas isso não significa que haja partidas 'de vida ou de morte'. Ou seja, se Portugal perder, vão lá chatear o Camões.
Por outro lado, Paulo Bento ainda teima na inclusão de Hélder Postiga no 'onze' inicial, alegando que o rapaz actuou bem em Israel e que, além disso, joga de um modo tal que, se não jogasse, obrigaria o seleccionado a jogar um  jogo de estilo diferente. Muito jogo.
Por outro lado ainda, Paulo Bento, que presumivelmente assistiu acordado à primeira parte do jogo em Israel, foi à cabina durante o intervalo para deixar tudo na mesma, o que faz supor que, no seu jeito de ver a bola, as coisas estavam muito bem com Portugal a perder 2-1 diante dos israelitas (que percebem mais de táctica anti-terrorista do que de futebol).
Finalmente, o antigo internacional, hoje seleccionador, vinca, e muito bem, que quem faz a equipa é ele e só ele manda Moutinho entrar ou Danny ficar fora, etc e tal.
Ora, senhores: Portugal até pode golear esta tarde, e oxalá que sim; pode o Postiga marcar uma mão cheia de golos; e Moutinho brilhar mesmo ao pé coxinho. Então, pode muito bem Paulo Bento, com tranquilidade, continuar a chamar-nos papalvos, porque todos baixam a crista como papalvos quando ele perde, quanto mais em caso de vitória!
Que ganhemos hoje no Azerbeijão são os ardentes votos do 'Fénix'.



2. O das Angústias volta esta terça-feira à carga com as razões de ter apresentado naquela que ele chama 'casa de louquinhos' - a Assembleia Legislativa - uma tal moção de confirnça ao seu desgoverno regional. Fazendo 'gato sapato' do parlamento, o rei da tabanca assume que tal moção afinal não era de confiança, mas de ataque à oposição. 
Como goza o democrata das Angústias!...
...Que não se acanha no puxar de galões: não iria pedir confiança - diz ele no ex-JM de hoje - um governo que tem feito tudo bem, que nunca se enganou em 34 anos, que investiu sempre com muita classe. E que a moção foi para acusar a oposição porque o governo deve continuar a trabalhar bem, como até aqui.
Além da arrogância de dispensar a confiança do parlamento, sua excelência reivindica o direito de dar notas a si próprio - o que não é de hoje.
Pode, pois, comer e beber descansado o cavalheiro (a esta hora refastelado na casa do desgoverno em pleno areal), porque os papalvos aceitam os seus argumentos e atribuem os 25 mil desempregados, a classe média que se alimenta no Cardoso, os sem-abrigo, as crianças sem comida nem papel higiénico nas escolas, os emigrantes que ele se gabava de ter acabado - os papalvos atribuem o desastre desta Madeira Nova, não ao culpado que mora nas Angústias, mas à oposição que nunca governou.
Mais: não nos admiraremos se os papalvos, caso 'Meio Chefe' vença Miguel Albuquerque em 2014, lhe derem nova maioria nas regionais seguintes.
Seria bem feito para os papalvos.



3. O das 4 Fontes aproveita a quadra pascal para uma ajudinha providencial aos desgovernantes cá da tribo onde grassa fome  e pobreza extrema. "Fé, coragem, esperança", eis o apelo do excelência reverendíssima dirigido a quem desespera na situação de desempregado e sem dinheiro para alimentar os filhos! Pois: enquanto rezam com fé, os desgraçados não 'chateiam' as Angústias.
Por que não come o reverendíssimo, na requintada mesa do paço, e já que o tempo é de abstinência, umas pratadas de "fé, coragem e esperança"? 

4. Sócrates vem pelo País dentro depois do período de nojo mais curto de que temos memória e já com posto encomendado. É verdade que ele foi dos primeiros-ministros mais maltratados em Portugal: criticado incessantemente, caluniado, enxovalhado, ridicularizado, e finalmente corrido nas urnas. Não lhe deixaram uns momentos de tranquilidade para pensar no que fazer - e se calhar tenha sido melhor, para não deixar o País em condições ainda mais desgraçadas do que deixou, à mercê de troikas que não dormem.
Pois quando ainda todos os dias há quem evoque o nome de Sócrates como se de Satanás se tratasse, o homem, em vez de deixar esquecer o passado recente e calar as vozes adversas, desde a extrema esquerda à extrema-direita, ei-lo que volta... e por cima, chamando papalvos aos compatriotas. 
Ele e os responsáveis da RTP ... Que imaginação, a do regresso do comentador político!
Desta vez, nem a linha socialista na liderança do partido pode ficar descansada.
Santana Lopes voltou a comentador, Marcelo também, Marques Mendes idem... mas são casos diferentes, reconheça-se.
Enfim, para um País de papalvos é bem feita.


5. Vítor Gaspar anda pelos States a pregar as virtudes económico-financeira que não temos. Lá vai ele falando e sorrindo na abordagem ao tema do regresso português aos mercados - a que chama um caso de 'sucesso'.
O problema é que, lá nos USA, ele não fala para papalvos.

AGRICULTURA



REUNIÃO NO CENTRO JOHN DOS PASSOS 'AQUECEU'



A ideia consistia em explicar aos agricultores que moda é essa de os homens que trabalham a terra estarem agora obrigados a inscrever-se nas Finanças. E os interessados lá comparecerem ao encontro, marcado para o centro John dos Passos, na vila da Ponta do Sol.
Só que, ao contrário do que toda a gente esperava, não apareceu nenhum especialista dos Impostos para explanar as directivas do governo (central) sobre a matéria. Quem lá esteve foi um engenheiro do executivo regional, ainda por cima sem cargo que lhe permita tomar decisões.
Quem nos enviou este despacho refere a decepção que o encontro provocou nos agricultores, que manifestaram descontentamento pelo tempo perdido. A ponto de ninguém se entender na sala do John dos Passos.
"Ainda por cima, foi uma reunião sem vinho nem espetada e por isso a coisa não acabou bem", diz-nos a nossa fonte, visivelmente desencantada com a falta de firmeza popular para agir em casos como este. 

segunda-feira, 25 de março de 2013



Obrigado Helena Encarnação (1974 - 2013)






Muitos de vós não tivestes a honra de conhecer e conviver com a Helena Encarnação (12 de dezembro de 1974 – 24 de março de 2013), mas eu tive.
Conhecia-a ainda muito jovem.  Era estudante de Biologia e tinha uma vontade extraordinária de conhecer os segredos da natureza nas entranhas desta ilha. Até a terrível doença lhe corroer as forças participou em inúmeras visitas de estudo da Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal de que era sócia.
Segui com atenção e admiração o rigor e a elevadíssima qualidade das suas ilustrações de plantas, peixes e crustáceos, que produziu ao serviço do Museu de História Natural do Funchal.
O conhecido ilustrador e biólogo Pedro Salgado considerou-a  uma das melhores ilustradoras na área de ilustração de biologia marinha à nível nacional e internacional.

Helena, só a humildade superou o teu talento. Obrigado pelo teu exemplo de vida.

Raimundo Quintal


Crustáceos – ilustrações de Helena Encarnação
Peixes – ilustrações de Helena Encarnação


Delícias da Madeira Nova


UM LIVRO NAS ANGÚSTIAS

O nosso correspondente nas Angústias enviou-nos um despacho segundo o qual sua excelência o monarca decidiu escrever um livro e já vai bem lançado no aviar de páginas.
Se, por um lado, lamentamos o montão de feridas que a obra certamente abrirá no já moribundo idioma português, por outro lado exultamos com a oportunidade para nos divertirmos com a imaginação de 'Meio Chefe'. Pelas amostras em artigalhos de opinião, o homem, com mais espaço à mercê, dará largas à fértil imaginação que lhe permite reconstruir acontecimentos da semana passada conforme lhe convém, por mais delirantes e ao arrepio da realidade que sejam, quanto mais narrar o sucedido e o não sucedido há 20, 30 e 40 anos!
Promete.
Para isso tem passado fins-de-semana de papel e lápis, em busca de inspiração no meio de araras e vegetação das Angústias.
Obviamente que, para além das já existentes, um dia também se deparará - ele e alguns bonifrates da tabanca - com uma obra qualquer destinada a contar à D. Posteridade as verdades nuas e cruas, com provas à vista, deste maluco período jardineirista. 

AMBIENTE



QUEM PLANTA POR GOSTO NÃO CANSA...





Esta manhã a temperatura do ar rondava os 3C quando chegámos ao Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha, localizado a 1550 metros de altitude. Além disso, de vez em quando o vento lembrava-se de oferecer umas rajadas e a chuva miúda visitava o maciço montanhoso do Pico do Areeiro. Mas nem as condições atmosféricas adversas arrefeceram a vontade de plantar.
Sócios da Associação dos Amigos do Parque Ecológico, turistas, trabalhadores do Galo Resort e do Hotel Royal Savoy, ao todo 78 entusiastas. Portugueses, alemães, ingleses, holandeses, indianos, jovens e menos jovens, organizados em pequenos grupos mas irmanados no objetivo de ajudar a paisagem a recuperar a beleza e a biodiversidade.
Às duas da tarde estavam plantadas 1200 plantas de espécies indígenas da Madeira e a sopa de trigo já estava pronta para aquecer os corpos e ajudar a recuperar energias.
Depois da sopa foi servida uma infusão de ervas aromáticas e medicinais, uma especialidade da Chef privativa da Associação, que hoje contou com colaboração externa, como acontece nos altos eventos gastronómicos.
No fim da jornada de trabalho e convívio era grande o contentamento e até ouvi dizer que "quem planta por gosto não cansa"...

         Saudações ecológicas,
         Raimundo Quintal

01-Subindo para o Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha
02-Subindo para o Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha


03- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha


04 - Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha


05 - Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha

06- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha



07- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha

08- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha

09- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha

10- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha


11- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha

12- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha

13- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha


14- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha



15- Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha


16-Plantando no Parque Ecológico do Funchal

17-Plantando no Parque Ecológico do Funchal


18-Plantando no Parque Ecológico do Funchal


19-Estrelas da alta cozinha



20-Por fim a sopa de trigo bem quente


sexta-feira, 22 de março de 2013

POLÍTICA


DEPUTADOS DO PPD ASSEDIADOS PARA NÃO TESTEMUNHAREM














O caso que opõe Miguel de Sousa a Jaime Ramos, resultante das ofensas do líder parlamentar ao deputado e vice da ALM, diante dos colegas do grupo, apresenta alguns desenvolvimentos.
O processo que Jaime interpôs contra Miguel, para equilibrar com outro processo em sentido contrário, mergulhou no impasse: o conselho jurisdicional do PPD ordenou a Jaime Ramos que especificasse os prejuízos ao grupo parlamentar social-democrata que a queixa apontava a Miguel de Sousa. E, até há bem pouco, Jaime não respondeu com o solicitado.

O outro processo, desencadeado por Miguel de Sousa contra Jaime, corre os trâmites normalmente. Mas deverá confrontar-se em breve com uma situação singular: há deputados arrolados como testemunhas que recusarão depor alegando que os assuntos internos do grupo parlamentar são para ficar dentro das paredes das reuniões.
Pedro Coelho e Rafaela Fernandes têm incitado colegas deputados a tomar tal atitude, para o efeito mostrando um papel onde em curtas linhas se sustenta a decisão de não testemunhar, com a argumentação do sigilo de grupo parlamentar.
Trata-se de uma campanha favorável a Jaime Ramos, já que compete a Miguel de Sousa provar as aludidas ofensas que o líder parlamentar lhe dirigiu. O que não será fácil sem o depoimento das testemunhas.
Recorde-se que todos os deputados laranja foram arrolados, à excepção de Coito Pita, José Prada, Miguel Mendonça (ausentes da reunião em causa), Jaime Filipe e Mafalda Costa (por proximidade familiar com Jaime).
Sabemos que alguns deputados já tomaram partido pelo não depoimento, mas haverá quem queira agir de forma diferente. Aliás, essa posição de recusa poderá não resultar no tribunal judicial, a que Miguel de Sousa também recorreu com um processo contra o líder parlamentar. 

MADEIRA AO VIVO



Construção civil no parlamento



Sobre o tema da reunião entre Jaime Ramos e o engenheiro da Tecnovia, na manhã desta sexta-feira no escritório de trabalho do líder parlamentar do PPD, em plena ALM, confessámos na peça respectiva não conseguir associar o trabalho legislativo à construção. Logo, não podíamos agitar alvitres.
Mas um Leitor versado na matéria enviou-nos uns elementos para ajudar a desvendar o mistério. Segundo esses dados, os parceiros do consórcio que trata do aterro precisam de inertes para o betão, asfalto, etc. 
Ora, se repararmos bem - diz o Leitor -, o AFA já está a carregar na foz da Ribeira Brava... a fim de se abastecer para encher os 'caixotes' (pré-fabricados para assentar nos fundos e depois encher com material pétreo) a empregar na obra de São João.

Esclarecemos já que tudo isto é chinês, aqui para os quadros da 'Fénix'. Ou papel de música. Mas o Leitor continua:

A Zagope, por sua vez, está a carregar na Ribeira da Tabua a toda a força para o Caniçal-britadeira.
Faltava, pois, a Tecnovia, que - diz o Leitor - deve recorrer à Ribeira do Porto Novo para obter a matéria-prima de que tanto precisa.

Continuamos a leste destas deambulações empreiteiras, mesmo quando a nossa fonte explica o seguinte:
Quando da Hidráulica anunciam limpezas ou desassoreamentos grátis, o que se deve interpretar é que nada é grátis - estão é a ceder matéria-prima necessária ao fabrico... para posterior venda ao próprio dono da obra.
E não é qualquer um que consegue beneficiar destes processos. Os pequenos empresários não conseguem lá chegar.
Porquê?
Porque, explica o nosso Leitor, o famoso trio da construção entende-se às mil maravilhas e asfixia o mercado exterior à sua acção.

Complicado? Para nós, sim. Mas há quem navegue perfeitamente à vontade nestas perigosas águas. 
Não admira. Depois de 36 anos de tarimba...


FUTEBOL



PORTUGAL 'ARRANCA' EMPATE EM ISRAEL

Danny ficou os 94 minutos no banco quando era preciso lá dentro

Que pode mais fazer Ronaldo, numa equipa onde não se vislumbra qualquer sistema táctico?

Nos tempos que correm, e depois das últimas decepções em jogos oficiais e particulares, podemos festejar o empate alcançado esta sexta-feira em Telavive. Sobretudo porque o milagroso ponto só foi possível graças a um golo de Fábio Coentrão, esquisita carambola, quando meia selecção israelita se fardava para o recontro desta noite com radicais palestinianos na Faixa de Gaza.
Depois de estarmos a perder por 3-1, admitamos que o empate sabe a ouro.
O ponto a que o nosso futebol chegou. Parece influenciado pelas pressões contraccionistas da troika!
Uma só pergunta: olhemos para os 14 que jogaram hoje. Danny não devia, para concretização dos nossos objectivos, estar em cima do relvado?
Ora se devia!


MADEIRA AO VIVO



JAIME RECEBE ENGENHEIRO DA TECNOVIA NO PARLAMENTO

Reuniões de alto nível na casa de trabalho.

Decorre há mais de uma hora (e já é meio-dia desta sexta-feira) uma reunião entre o líder do grupo parlamentar PPD e o engenheiro da Tecnovia encarregado pelas obras no aterro.
Ambas as personagens encontram-se no escritório profissional de Jaime Ramos, em plena Assembleia Legislativa Regional. 
Quanto aos assuntos que se encontrarão em cima da mesa, nada podemos adiantar. Não conseguimos ver que relação pode haver entre afazeres parlamentares e a produção de tetrápodes à beira-mar. Se não estão a falar de futebol ou de corridas em mota de água, o agendamento da reunião, pelo tempo que impõe, deve ser assaz complexo.