sábado, 31 de agosto de 2013

POLÍTICA DAS ANGÚSTIAS / SÁBADO



PPD PERDE MAIORIA ABSOLUTA NO FUNCHAL... PARA JÁ



Bruno Pereira, ainda por cima mal acompanhado pelo chefe, não conseguirá resistir durante um mês ao fenómeno Cafôfo, que indicia substancial crescimento eleitoral


'Mudança', com bons resultados na sondagem, está em posição de mudar mesmo a cor laranja vigente na Câmara do Funchal.

(Nota: texto revisto)

Os resultados da sondagem do 'Expresso', já plasmada no 'on line' do semanário, não apresentam novidade relativamente ao que prevê qualquer cidadão que acompanhe a política regional. Ninguém admite, seguramente, que o PPD, desgastado pelas lutas internas, erosão governativa e notável impopularidade do líder Jardim, consiga chegar a 29 de Setembro à maioria absoluta na principal câmara da Região - nem de perto nem de longe. E a sondagem confirma-o. Desta forma: PPD-M de Bruno Pereira, 4 a 5 vereadores; 'Mudança' de Cafôfo, 3 a 4; PP de José Manuel Rodrigues, 3; CDU de Artur Andrade, 0 a 1.

Entende-se também que ainda não estejam bem à vista os efeitos do fenómeno Cafôfo, candidato da coligação 'Mudança' que só precisa de se tornar mais conhecido das massas para criar uma onda imparável rumo à vitória funchalense. Isto pelo pouco que já se viu. Esses efeitos tardam a aparecer porque ao cabeça-de-lista tem sido concedido pouco palco.
Desconhecemos os prazos das diferentes etapas da campanha coligacionista. Parece-nos que a mobilização deveria ter começado algum tempo atrás, embora não muito. A esta hora, as listas da 'Mudança' estariam claramente à frente das social-democratas.
É que, no campo laranja, o cabeça-de-lista Bruno Pereira posiciona-se simultaneamente como culpado e como vítima no processo que levará supostamente a um ruidoso trambolhão laranja.
Bruno errou ao tomar partido na disputa interna ocorrida o ano passado dentro do PPD - e tomou partido logo contra Miguel Albuquerque, o homem que obrigara Jardim a recuar na candidatura de Sérgio Marques à Câmara para reconsiderar o 'candidato natural'. Tal atitude assumida por Bruno caiu pessimamente na opinião pública e fê-lo entrar no lote dos culpados do mal que possa acontecer ao seu partido nas eleições autárquicas. 
Mas também não deixa de ser uma vítima do desgaste que se manifesta às escâncaras no governo regional, no PPD e, ainda mais acentuadamente, no chefe Jardim. Quem quer castigar o presidente do executivo tem de votar contra Bruno. Essa é que é essa. De modo que estes 36,4% (ou 30, conforme a leitura) que os funchalenses lhe dão na sondagem do 'Expresso' não resistirão muito tempo. A não ser à custa do PP.

Enfim, Bruno Pereira pode vir a ser presidente da Câmara, em aliança com os populares, que arriscam nestas eleições a cabeça do seu líder. Sem favores, José Manuel Rodrigues tem liderado uma pré-campanha bem pensada, com out-doors vistosos e mensagens daquelas que não deixam os munícipes indiferentes. Depois, além de o partido vir de um grande resultado nas últimas regionais, José Manuel Rodrigues continua um bom comunicador, no porta a porta. Os anos de jornalista de televisão permitem-lhe tratar as câmaras por tu.
A espinha cravada na candidatura dos populares assemelha-se - salvo seja - àquela que ameaça embaraçar a CDU, não sabemos se a sentem ou não: ao nível dos nomes mais sonantes de cada um deles, que são os que as luzes da ribalta mostram ao eleitorado, campeia um certo 'mais do mesmo'. 
No caso da CDU, Artur Andrade é um veterano com muitos anos de política. Em longevidade, ele está para a militância partidária como nós aqui para a militância jornalística.
Em termos de equipa de vereadores propostos pelo PP, é certo, domina claramente um salutar mar de caras novas. Falta saber, insistimos, o que pensa o eleitorado a propósito dos longos anos que o cabeça-de-cartaz nestas eleições já leva na liderança do partido e nos assentos parlamentares da Madeira e de São Bento. Esta sondagem do 'Expresso', a mais recente, não galvaniza.
O PP debate-se ainda com a sombra de Paulo Portas, que não é boa companhia para nenhuma candidatura. Se não é assim, por que não o trazem cá, desta vez, para um jantar com velhinhas? 
Ele vem? Oh José Manuel Rodrigues, sinceramente é melhor não. Andamos na rua e já nos temos de desviar dos submarinos e das patifarias ao povo apontadas insistentemente ao rapaz das feiras que chegou a ministro.

O mesmo podemos dizer de Bruno Pereira. Passos Coelho é impensável vir cá - nem sequer é tradição trazer 'continentais' para as campanhas do PPD-M. Mas há uma companhia talvez pior, que é a de Jardim. E não é que o chefe ameaça participar em comícios e reuniões com simpatizantes? 
Os candidatos laranja choram. Os da oposição saltam de contentes. 

Falta um mês, praticamente, para o dia de votar. Cada força concorrente saberá que trunfos tem para puxar ainda. Porém, pelo que percebemos na vida real, cresce um sentimento favorável à novidade, à mudança. E 'Mudança', na verdadeira acepção do termo, é a proposta pela coligação dos partidos de oposição - PS, BE, PTP, PND, MTP e PAN. Conhecemos muita gente do próprio PPD que não esconde uma simpatia em crescendo pela candidatura de Paulo Cafôfo. Notamo-lo desde que o cabeça-de-lista começou a dar-se a conhecer um pouco mais, em entrevistas e contactos directos com a população. 
Ainda aqui vamos.
É um facto: Cafôfo tem tudo para cavalgar a onda popular que se esboça no panorama eleitoral funchalense. E ainda falta os partidos da coligação, em conjunto e a solo, colocarem no terreno mobilizadores atributos de campanha revelados em outras ocasiões e em certa parte premiados pelo eleitorado.
O cabeça-de-lista é um trunfo puxado pela oposição não sabemos de onde. Só reconhecemos que, depois de uma fase francamente cinzenta, insonsa, parecendo indiciar mais um de tantos fracassos por parte das oposições de que a História recente está cheia, vislumbramos a possibilidade mais séria de sempre de correr a maioria laranja da câmara do Funchal.

Falamos com base nas sensações dos últimos dias. Acreditamos que a explosão da candidatura de Cafôfo - mais hora menos hora, é questão de lhe darem antena - há-de gerar o furacão eleitoral com que sonharam duas ou três gerações de oposicionistas ao regime.
A um mês da prova final, damos como perfeitamente possível, e até provável, que a coligação 'Mudança' dê a volta aos cerca de 6 pontos (ou 8) que a separam da candidatura social-democrata, como indicam os números da sondagem 'Expresso'. 
E ainda há o PP-Madeira, que também tem margem para crescer.
Lá se foi o tempo em que o PPD era um papão de 7 cabeças quando concorria a uma eleição, fosse ela qual fosse. 


Com a devida vénia, reproduzimos a sondagem do 'Expresso' relativa às autárquicas no Funchal. O texto é aquele que o semanário tem na sua edição on line.


DO EXPRESSO:





PSD mantém domínio no Funchal

Divisões entre os sociais-democratas não impedem a renovação da liderança na maior autarquia da Madeira

Martim Silva
 




A disputa pela Câmara do Funchal, apesar do longo domínio laranja, parece este ano mais picante que nunca. Primeiro, com a saída de Miguel Albuquerque e os sociais-democratas divididos entre guerras internas; Depois, com o CDS a apresentar um candidato que lhe dava expectativas de vitória; Finalmente, com o PS a liderar a mais ampla coligação que estas autárquicas têm em todo o país. Mas, ainda assim, o PSD prepara-se para manter a presidência da Câmara do Funchal. Embora possa ter de gerir uma câmara sem a maioria absoluta dos vereadores. A vantagem, de acordo com a sondagem da Eurosondagem para o Expresso e a SIC, está nesta altura na casa dos seis pontos, com a coligação liderada pelos socialistas em segundo lugar. Só em terceiro aparece o candidato do CDS/PP.


Ler mais: http://expresso.sapo.pt/psd-mantem-dominio-no-funchal=f827717#ixzz2dUbsBfkW



sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Madeira Nova



Alguém falou em mosquitos? Em atentados à saúde pública?



Isto que aqui está fica ao alto da Pedro José de Ornelas. O pivete na zona, dando a ideia de que há criação de animais ali perto, é indescritível, não arranjamos palavras. Quanto ao aspecto deste poço com água doentiamente estagnada, a as imagens são objectivas, não precisam que gastemos latim.

ESTALEIRO



As fozes das ribeiras de Santa Luzia e de João Gomes estão quase duas em uma




30 Ago 2013


A PREVENÇÃO É UMA MENTIRA 
MAIOR QUE O PICO RUIVO 


Hospital dos Marmeleiros - 30.08.13



Na madrugada de 17 de Agosto o fogo aproximou-se perigosamente do Hospital dos Marmeleiros e obrigou a evacuação dos doentes.
Passadas duas semanas, as enfermarias estão novamente cheias, nada foi limpo na mata ardida a sul do velho edifício, no talude sobranceiro as acácias e os eucaliptos continuam a produzir combustível, aguardando por condições atmosféricas favoráveis e pela entrada em serviço dum qualquer pirómano.
Duas semanas após o fogo, o pânico e as muitas lágrimas derramadas, mantém-se elevado o risco de incêndio na mata pirófila que envolve perigosamente o Hospital dos Marmeleiros.
As fotografias, que fiz esta tarde, são a prova inequívoca de que NA MADEIRA A PREVENÇÃO É UMA MENTIRA MAIOR QUE O PICO RUIVO!  

         Saudações ecológicas,
         Raimundo Quintal













LABORAL



BLOCO DE ESQUERDA DENUNCIA
'ASSALTO À MÃO ARMADA' DE PASSOS

Roberto Almada pede aos funcionários públicos que não se deixem enganar por Jardim na questão das 40 horas 



O líder do Bloco de Esquerda declarou esta manhã de sexta-feira em conferência de imprensa que "já se esperava" o chumbo do Tribunal Constitucional (ontem) a um diploma do governo PSD-PP destinado, na prática, a provocar mais despedimentos na Função Pública. Isso porque, entre outras disposições constitucionais, o projecto governamental viola a segurança no emprego.
Roberto Almada entende porém que, apesar desta boa notícia para os trabalhadores da administração pública, não há motivos para embandeirar em arco. É questão de lembrar, por exemplo, que o Presidente da República promulgou a dilatação do horário de trabalho para 40 horas semanais também dos trabalhadores da administração pública.
São mais 240 horas por ano que os funcionários atingidos terão de dar ao Estado, nas contas do líder bloquista regional. E, o que é pior, "para receber menos salário".
"Ao contrário do que se diz, os funcionários ficam com uma carga horária, em média, superior à do sector privado", esclarece Almada. "No sector privado, o horário de trabalho pode ir, no máximo, às 40 horas, mas a média fica-se nas 38 horas semanais."
O BE, como recorda o líder, tem defendido uma equiparação entre os dois sectores, público e privado. Mas atenção que "não é nivelando por baixo", e sim de modo a que todos os trabalhadores tenham o mesmo número de horas, baixando tudo para as 35 semanais. Isso ajudará a criar mais postos de emprego e dará aos trabalhadores mais tempo para a sua vida, considera Roberto Almada.
Aliás, tanto esse aumento para as 40 horas como outras medidas de "terrorismo laboral" são inconstitucionais, na forma de ver do Bloco de Esquerda.
Todos aqueles cortes contabilizam cerca de 445 milhões de euros por ano no rendimento dos funcionários públicos - denuncia Roberto Almada. O que equivale à perda de mais de um subsídio de férias - que o Tribunal Constitucional, recorde-se mandou devolver aos funcionários públicos.
Mandou devolver... mas o governo tira de novo "pela porta do cavalo", afirma Almada. "É inconstitucional, é imoral e, mais do que isso, é um assalto à mão armada."
Que fazer? Da sua parte, o Bloco vai juntar na Assembleia da República a sua assinatura à de outros deputados para tratar de mandar também as 40 horas ao Constitucional.
E na Madeira, onde Jardim já se pronunciou com a novidade de que não aplicará a lei das 40 horas? Aí, o Bloco gostaria muito que fosse verdade. "Mas", antecipa-se Roberto Almada, "isso não passa de uma jogada eleitoral, não é mais do que atirar areia aos olhos dos trabalhadores da administração pública".
Para que não haja dúvidas: "Que os trabalhadores da administração pública não se deixem enganar por este 'canto de sereia' de Alberto João Jardim. Antes das eleições regionais, ele também disse que não ia aumentar impostos, que não ia aplicar na Madeira outras medidas de austeridade que, afinal, veio a aplicar, porque ele está de joelhos, de cócoras, perante o governo da República e perante a troika."
Enfim: "Ao contrário de Alberto João Jardim, que nada fará, o Bloco de Esquerda vai juntar-se a deputados de outros partidos para pedir a inconstitucionalidade do diploma das 40 horas." 



Navegação


Lobo Marinho ainda em horário de Verão zarpou esta manhã de sexta para o Porto Santo (8 h)...




...E acaba de voltar à Pontinha (13h45)


VERÃO LOUCO



'Meio Chefe' confessa-se admirado com aquela conversa das dívidas. Mas, mesmo desconhecendo o assunto, avisa nada ter a ver com isso.



















JARDIM MANDA PERGUNTAR
QUE FUNDAÇÃO É AQUELA


Sua excelência utiliza hoje a folha paga por nós para sublinhar a vermelho nada ter a ver com a gestão da Fundação Social Democrata. "Sou uma espécie de 'rainha de Inglaterra' na Fundação, porque a lei impede uma pessoa que exerça as minhas funções públicas de ter qualquer actividade de gestão", mandou ele pôr na edição de hoje do panfleto laranja, dirigido por comissários das Angústias. 
Depois, em off, terá acrescentado: A sério que não tenho bem presente que raio de fundação é aquela.
Tudo isto vem a propósito de as assustadoras dívidas da Fundação laranja terem voltado à tona a propósito do calote de milhares em água da Câmara.

Não há novidade no sacudir da água do capote pelo gerente não executivo da Região. 
Todos sabem como é: quando a situação é de cantar de galo, a criatura salta para jornais e TVs a reivindicar - sou eu a mandar, eu é que faço, eu é que aconteço, eu é que tenho a chave do wc. 
Assim que cheira a esturro, lá vem ele: como toda a gente sabe, eu não tenho nada com isso, não sei, não vi, não estava lá, da minha parte não assinei nada, enfim.
Pelas m... da Fundação, portanto, que respondam o Jaime e o Machado; pela buraqueira das Finanças, que se desenrasque o Garcês (ou não fosse 'Meio Chefe' o gerente não executivo da Madeira); pelas obras feitas à louca só para inaugurar a tempo de eleições, sem facturação nem nada, vão à procura do Santos Costa.
Por tudo isto é que voltamos a dar um conselho ao nosso incondicional Amigo José Lino, patriarca do Porto Santo: se um dia alguém da Justiça decidir investigar o forrobodó do desenvolvimentismo rapinante destes 40 anos, arranje as malinhas e vá correr mundo, longe daqui.
É que todos serão suspeitos de gestão criminosa - à excepção de sua excelência o rei da tabanca, como é lógico. E, é consabido, estas coisas sobram sempre para o nosso Amigo porto-santense.

DESGOVERNO


Até os telefones!




Nada bate certo naquele desgoverno instalado nas Angústias e na Junta Geral, este Verão. Se o ambiente é tranquilo no centro de dia onde sua excelência passa o tempo sempre que vem à Madeira, já no vetusto edifício das Avenidas Zarco e Arriaga muito há que apontar, como temos visto aqui no 'Fénix', sobretudo depois de o secretário acidental da Educação haver enclausurado os motoristas numa sala, desconfiando que era deles que as informações internas nos chegavam aqui.
Hoje, a observação não vai para vigilantes que trabalham de calções, espionagem ou damas preferidas. Do que nos falam é da central de telefones. É aí que se dão secas de 20 e mais minutos para atenderem quem para lá liga.
Antes das 9h20, se está lá alguém, é como se não estivesse. O mesmo depois das 17h15.
Então que trabalho é este?

Mas fazem-nos uma pergunta, de caminho: que chefe de gabinete costuma distribuir cumprimentos personalizados quando se depara com um grupo... omitindo ostensivamente o funcionário presente a quem pretende declarar guerra?

Perguntam-nos isso a nós? Ora, deixem-se de 'pegar' com as Finanças, que têm tanto dinheiro para contar no cofre...


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Despedimentos e mobilidade


TRIBUNAL CONSTITUCIONAL CHUMBA CAPANGAS DO REGIME


Agora mesmo saiu a notícia, pela boca do próprio presidente do Tribunal Constitucional: as novas regras para a Função Pública não passam.
O governo queria despedir mais portugueses, porque essa era a intenção das novas medidas. E Cavaco apoiava essa teoria tremenda. Lembram-se das 40 horas que ele consagrou? Pois o TC chumba o cara-de-pau de Belém mais seus rapazes do governo.
Vão fazer queixa à troika.

Madeira Nova


MORTE DO ELEFANTE



Enviaram-nos agora esta foto desoladora mostrando o antigo Lido. Aliás, o que resta dele.
Senhores da Câmara, esta é uma herança pesada. 
Ao lado, existe uma espécie de novo Lido. Mas, além de não possuir as condições do antigo, resulta de umas obras sobre as quais caíram algumas suspeitas.
Um dia, alguém há-de fazer ressuscitar o elefante que aqui vemos. Não? Deixem-nos sonhar.

Eleições Autárquicas


MÁQUINA LARANJA REÚNE-SE HOJE

Persiste uma dúvida: depois do raspanete em público de Jardim, Jaime Ramos ainda mexe no aparelho das campanhas eleitorais?


Da Rua dos Netos, só saem duques a Bruno Pereira.

Nos meandros social-democratas, anda tudo numa agitação, esta quinta-feira. Os operacionais da máquina partidária e alguns candidatos preparam-se para um encontro ao fim da tarde, na sede de campanha de Bruno Pereira - Rua do Aljube.
Segundo um correspondente estagiário que ao serviço do 'Fénix' se infiltrou na sede paga pelos madeirenses, via empreiteiros, à Rua dos Netos, cada elemento da equipa reúne as últimas notas para explanar, em cima da mesa, os melhores locais e as melhores horas para Bruno e demais candidatos fazerem a campanha. 
O nosso correspondente (ainda estagiário, reforçamos) não conseguiu descobrir uma coisa tão elementar como esta: Jaime Ramos estará presente na reunião?
De há um mês para trás, a pergunta seria ridícula, dada a omnipresença do secretário-geral em cada período eleitoral, desde a concepção à reunião de meios financeiros e realização de arruadas e comícios a favor do laranjal. Mas, agora que 'Meio Chefe' se virou contra ele, considerando-se o mesmo 'Meio Chefe' marginalizado de todo o processo, é capaz de Jaime aproveitar para ficar mais à distância.
E porquê? Ninguém é tonto. Quem é que, depois de 40 anos de brilharete, quer vestir a casaca de coveiro do PPD-M?
Além disso, Jaime não se arreliará muito com um desaire generalizado do PPD, nessas câmaras. Num caso desses, mais depressa o seu novo inimigo Jardim será jogado da cadeira a fim de que o partido avance para a fase seguinte, com liderança de Albuquerque, o novo amigo de Jaime Ramos.

Em todo o caso, aconselhamos cautela a quem passar nas próximas horas pela Rua do Aljube. Com aquele ambiente no vespeiro laranja, podem voar cadeiras e mesas da sede para fora.
Isso apesar de eles prepararem uma cortina de fumo para esconder a agenda do cenáculo - apresentando os candidatos a um órgão qualquer da Câmara, Assembleia Municipal, ou isso.
  

VERÃO LOUCO



SECRETÁRIO DA SAÚDE
FAZ VISITA DE MÉDICO



Jardim Ramos foi visto esta quinta-feira no Porto Santo. Viram-no logo de manhã pelo areal e, posto o nosso K-Porto Santo em missão, sabe-se que regressa ao fim do dia.
Pelo meio, Chico dos Hospitais apresentou-se na universidade jardineirista que percorre várias adegas no Verão, desde o 'Bar do Henrique' ao 'Pé na Água' e ao 'Posto Avançado da Democracia'.
E que foi lá fazer Chico dos Hospitais? Ao que K-Porto Santo averiguou, a deslocação de um dia à pequena ilha foi programada porque o secretário tinha de pagar uma farra ao grupo do 'Meio Chefe'.
O homem fez a viagem por uma boa causa, portanto.

Já nos contactaram a perguntar como é que Chico viajou para o Porto Santo. Mas só estamos em condições de dar uma certeza: de elevador não foi, porque o da Secretaria dos Assuntos Sociais está avariado há mais de uma semana e ainda não foi arranjado... por falta de dinheiro. 
Será que consertar aquela droga de elevador sairia mais barato do que as viagens do secretário ida e volta e a despesa no Bar do Henrique? 
- Att: para disfarçar, Ramos imitou o chefe, participando num dos números inauguracionais para justificar a deslocação.

VERÃO LOUCO



CASA REAL COM DETECTOR HUMANO ANTI-FOGOS



O presumível chefe do alegado governo regional diz estranhar o silêncio da oposição que, a seu ver, devia fazer coro com ele e denunciar a existência de "fogo criminoso".
Não somos advogado da oposição, mas queremos observar que não é às oposições, e sim ao governo, que compete inventar a existência de incendiários terroristas.
No caso da Madeira, é o governo regional que, após as desgraças ano após ano, em florestas, casas e vidas, continua sem trabalhar na prevenção dos fogos, como devia fazer, pondo gente a trabalhar nas zonas públicas e obrigando os particulares a limpar o que é seu.
Sendo o governo o grande culpado dos sucessivos incêndios, é o governo que deve, portanto, arranjar desculpas e inventar culpados, para se safar. 
Do género: o governo, coitado, tem tudo organizado, mas chegam os malandros dos terroristas a pegar lume por aí e, assim sendo, não há estratégia governamental que resista.

O tempo há-de 'apagar' as sequelas das chamas. Lá para Novembro, ninguém fala do assunto. Nem alguém se lembrará de perguntar à Judite onde estão os incendiários que, em coro com Jardim, disse estar prestes a apanhar.
O ano passado foi assim, no tempo de Ricardo, este ano é assim e para o ano assim será.
Que tal dedicarem-se todos à pesca?

Se repararem bem, 'Meio Chefe' marimba-se para incêndios e suas consequências - pois se só veio do Porto Santo cá em Agosto para dormir uma noite e mais outra no quentinho da Madeira! 
Ele não se rala. Nada. Afinal, nós estamos a pagar um detector de incêndios de luxo para guardar a casa de sua excelência na Pena.
...Porque ele, presidente fictício, tem direito a segurança pessoal e, pelos vistos, a vigias para o seu património. Pagos por nós, repetimos.
Desculpem o mau jeito, mas, quando é que esta m... tem fim?
E isto é sem ofensa aos dignos agentes da PSP, que, feridos na competência e no brio profissional, são obrigados a fazer de meros vigilantes e guardas-nocturnos por exigência do caduco regime.

HUMOR DE VERÃO


OS JORNAIS NÃO SE MEDEM AOS PALMOS


Jardim diz que o 'Expresso' é muito mais difícil de rasgar, mas, no resto, são todos da mesma igualha







O 'Sol' também é fresco, diz Jardim do semanário que fala hoje em calotes na Madeira




O semanário 'Sol' noticia esta quinta-feira que a Madeira é a região portuguesa mais bicuda em casos de endividamento: 16,7% do total nacional, seguindo-se os caloteiros de Lisboa, com 16,3%.
'Meio Chefe', de férias no Porto Santo, engasgou-se com a água lisa que bebia num bar do areal (agora só bebe gin, e nos actos oficiais, por ser de borla) mas lá conseguiu ripostar: o 'Sol' só inventa calamidades envolvendo a Madeira e é tão fresco como o irmão 'Expresso' e todos os outros, à excepção do JM. Mas não ligo ao que dizem, aquilo é um papelucho facílimo de rasgar.
Jardim referiu ainda que se vê à nora quando é preciso rasgar o 'Expresso', porque a maçonaria fez um jornal robusto e de dimensões monumentais, exactamente para evitar que pensadores como ele, rei da tabanca, fizessem justiça pelas próprias mãos.
De passagem, deixou no ar que fará a vida negra ao 'Expresso' quando o maçónico jornal de Balsemão vier, em Outubro, celebrar cá os seus 40 anos, de mão dada com a vereação de Albuquerque, então ainda em funções. "Branco é, galinha o põe", repetiu-se 'Meio Chefe, aliás com muito a-propósito.
De repente, o cronista do JM presente no Bar do Henrique, depois de ser contactado pelos comissários das Angústias em serviço controleiro na Redacção, explicou ao seu patrão (que para o ser usa o nosso dinheiro) que, afinal, aquilo dos caloteiros não é com o governo da Madeira - as estatísticas referem-se aos particulares madeirenses.
- É a mesma coisa - suspirou o gerente não executivo da Região - De certeza que eles escondem no artigo que esses caloteiros madeirenses são todos da oposição e da equipa de fãs do galã da Câmara. 


Sondagem do 'Expresso'

Os assessores de 'Meio Chefe' já reservaram, em vez de um, dois exemplares do 'Expresso' desta semana: um para arquivar, outro para o patrão das Angústias rasgar. É que, nesse número, será publicada uma sondagem respeitante às autárquicas nas principais cidades do país, incluindo o Funchal.
Se a dita for favorável à oposição funchalense, rei da tabanca dirá que a maçonaria pretende galvanizar os inimigos da Madeira. Se for favorável a Bruno do PPD-M, dirá que a maçonaria quer desmobilizar os eleitores laranja incutindo-lhes a ideia de que a vitória social-democrata é certa e por isso podem ficar em casa.
Num caso e noutro, o 'Expresso' será rasgado. Bem andarão os assessores se conseguirem mesmo os 2 exemplares.


Lugar de Jaime em perigo no 'Madeira Livre'

Ainda no que diz respeito a jornais, 'Meio Chefe' está preparando a substituição de Jaime Ramos no cargo de director do 'Madeira Livre'. As relações entre ambos deterioraram-se quando Jardim percebeu no secretário-geral um fraquinho pela linha partidária de Albuquerque.
Partindo dos critérios até aqui revelados por 'Meio Chefe', deverá ser Carlos Machadinho a ocupar o lugar de Jaime na direcção daquele periódico, partidário mas de cunho cultural. Machadinho é personagem para mudar o adequado nome do editorial 'A Palhaçada', adoptado por Jaime, para 'A Trapichada'.
Branco é, galinha o põe. 

VERÃO LOUCO



ESTAMOS QUASE LÁ

O ambiente na tabanca reveste-se de cores garridas

Festas sempre houve, o escoamento é que é pouco.

Temos à vista a festa das vindimas. As autoridades do sector dizem que a hotelaria para esta altura sobe de ocupação para 87%, autêntica cereja no topo do 'bolo de arroz' que é o turismo registar o melhor Verão dos últimos anos. Imagine-se o que não foram os anteriores.

O Orçamento do Estado para 2014 contempla os interesses da Madeira -diz Guilherme MacGyver, que lá para finais de 2014 acusará o Orçamento de Estado pela ineficácia da governação na Madeira.

Os museus abarrotam de visitantes - 67 mil só este ano! O que revela que os estrangeiros estão cada vez mais cultos.

Com as obras no estaleiro do Funchal, proliferam os achados arqueológicos. Verdadeiras minas de preciosidades a explorar.

Manuel António diz que até as trampas nas Etares o governo quer aproveitar, o que vem na linha da solenidade com que 'Meio Chefe' inaugura wc de tascas e baldes de lixo subterrâneos.

Arrancaram as obras para o novo cais, que rivalizará com as vazias estruturas existentes.

O centro de saúde da Calheta terá obras no terreno em Abril de 2014, garante o vice do governo.

As empresas que ainda não fecharam apostam na excelência dos seus serviços, como costuma dizer o JM.

Os candidatos do laranjal às autárquicas prometem apoios a todas as instituições concelhias, para evitar que estas fechem.

Cunha e Silva defende uma baixa de impostos.
E Romeira reduziu a dívida de São Vicente para metade.

Câmara de Lobos terá novos acessos em Setembro.

Os tailandeses, como se deduz do encontro de Cunha e Silva com o embaixador deles, anseiam pela hora de começar a fazer turismo na Madeira, porque umas massagens caem sempre bem seja a quem for.

Já se adivinham os foguetes do gigantesco arraial da Ponta Delgada. 
O Loreto prepara duas festas de arromba.
A Nazaré mexe-se para as festas paroquiais.
Os tabuleiros já estão a ser enfeitados para o festão do fim-de-semana a oeste, na Ponta do Pargo.
A paróquia do Livramento avisou fogueiros, barraqueiros, tremoceiros e mordomos de que as novenas começaram.
São Roque do Faial será música e muito vinho, domingo.

Raios! Houvesse nesta terra mais uns 30 mil postos de trabalho, um governo (a sério), um plano de combate à pobreza extrema que atinge 40% da população... e poderíamos desfrutar deste paraíso de que falam os sibaritas do regime. 
Mas não se pode ter tudo e o melhor é mesmo ficar calado. Já dizia o rei Herodes: ou te calas ou te lixas.

PS - Nós a falarmos ontem aqui na falta de escoamento para as uvas deste ano, de tal modo que a negra mole de Câmara de Lobos e de São Vicente pode ir bater à levada, e, afinal, o sr. governo está satisfeito com o programa da festa das vindimas e com a ocupação hoteleira! Erro nosso. O que é que os agricultores têm a ver com festas de vindimas? 

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Verão louco



Secretário agarrado à canadiana


O titular da pasta da Educação andou ao serviço hoje apoiado numa canadiana. Os problemas de coluna voltaram, está visto.
O melhor, achamos, é Jaime Freitas ficar em casa para recuperar de uma vez. 'Meio Chefe' passa o tempo em férias e a Madeira até beneficia com isso. Com os secretários a não atrapalharem também, as vantagens para a Região multiplicam-se por 10.
Se o secretário acidental passeia pelos corredores da Junta Geral empurrado pela sua desconfiança nas sombras, deixe lá que por aí não resolve nada. Depois de ter enclausurado a equipa de motoristas dentro de 4 paredes, julgando que desse grupo partiam as informações cá para o 'Fénix', veja o volume de 'bilhardices' que nos chegam e são mandadas para o ar!
Ou será que foi um motorista a dizer-nos que vossa excelência caminha ao pé coxinho pelos corredores da Junta?
Melhoras para si - na coluna e no espírito.

Madeira ao Vivo


UVA SEM ESCOAMENTO AMEAÇA
DAR BERNARDA NAS VINDIMAS

Há quem preveja que a negra mole vá parar à levada, em Câmara de Lobos e em São Vicente 


As vindimas despontam no horizonte e há quem preveja borrasca para essa altura. 
Conforme os interessados se recordam, as empresas exportadoras de Vinho Madeira, aí por Março e Abril, não denotavam grande entusiasmo na compra de uvas, quando chegasse a altura própria. No entanto, a responsável pelo Instituto que trata desses negócios, Paula Cabaço, desvalorizou os receios provocados nos agricultores, e não apenas, por essa indiferença dos empresários exportadores. A presidente do IVM achava que não haveria excedentes de produto. Ou seja, previa escoamento para toda a produção.
A situação não provocou espavento na altura. Mas, caso o descontentamento então silenciado não se tenha dissipado, a discrição tende a resultar em bernarda. E já dentro de uma ou duas semanas.
Diz-nos quem está por dentro do problema que a negra mole desta safra, em Câmara de Lobos e em São Vicente, pode ir parar à levada.
Não queremos agitar. Apenas prevenir quem de direito. 

VERÃO LOUCO


BALDES ECOLÓGICOS COM DIREITO 
A INAUGURAÇÃO ESCATOLÓGICA


A 'ilha ecológica' cá da zona passa às terças e às sextas


O JM deu a importância que se impunha à solene inauguração dos baldes de porcaria por sua excelência. Com direito a uma elucidativa oração de sapiência ao vivo pelo secretário do Ambiente.

O lixo e os recipientes do dito, ou seja, a 'ilha ecológica', surgem como inovação eficaz e em conta para sua excelência preencher a sua inútil agenda.
O homem mostrou no Porto Santo como é: metem-se umas caixas de lixo debaixo da terra e procede-se a uma cerimónia de inauguração como se de uma tabuleta de vereda se tratasse - e quem diz tabuleta diz wc de tasca, estrado de praia, o raio que parta o estilo de governança Madeira Nova, porque qualquer m... serve para o cavalheiro aparecer, mais mau cheiro menos mau cheiro.
Desculpem, mas a linguagem da notícia tem de corresponder ao conteúdo editorial proporcionado pela iniciativa executiva - no caso escatologicamente nauseabundo.

Fica aqui a ideia. Como as eleições são dentro de um mês, é comprar-se mais 'ilhas ecológicas' (aliás o homem ameaçou fazê-lo) e montar essa bodega por todo o lado, Selvagens incluídas, porque as cagarras sujam aquilo tudo. E não vá o sr. Silva, para não falar da morte dos bombeiros, querer ir ao 'sul de Portugal' meter outra vez o nariz naquilo. 
Pode-se comprar os baldes a preço barato. Supomos que os chineses tenham disso aos pontapés nos seus 300.
A propósito, a 'ilha ecológica' cá da zona , isto é, o carro do lixo, passa dois dias por semana. Como às vezes aquilo tresanda em exagero, que tal fazer jus à modernidade e pôr aquilo a circular debaixo da terra, como o metro?
Nós aqui também queremos andar na crista da onda, como sua excelência diz que o Porto Santo ficou, agora que tem baldes debaixo da terra.

Eleições Autárquicas



CAFÔFO BRILHA NA NAZARÉ

Sede da coligação 'Mudança', na Rua Câmara Pestana.

O cabeça-de-lista da coligação 'Mudança' à Câmara do Funchal ganhou simpatizantes com a sua prestação no Bairro da Nazaré, ao fim da tarde de ontem, terça-feira.
Paulo Cafôfo, que durante a manhã observara os trabalhos em curso no chamado aterro da baía, viajando a bordo do 'Ventura', deslocou-se mais tarde à freguesia de São Martinho, em missão de pré-campanha.
Um residente no Bairro da Nazaré tomou a iniciativa de dar conta ao 'Fénix' daquilo que considera uma excelente acção daquele candidato nos contactos com a população local. Cafôfo chegou a entrar em cafés, conseguindo atrair as atenções dos circunstantes, dirigindo-lhes então algumas palavras assumidamente de campanha.
Segundo o residente que nos ligou, muitas pessoas contactadas ontem são normalmente votantes no PSD, mas, apesar disso, não esconderam ter entrado numa zona de indecisão depois do diálogo travado com Paulo Cafôfo.
"As pessoas gostaram da simplicidade do Cafôfo", diz-nos o informador - "Ele garantiu que a sua postura é assim mesmo, não simulada, e que assim continuará caso seja eleito presidente."
O líder das listas da 'Mudança' garantiu mais uma vez que, se vencer, o governo regional não dominará a Câmara. 
Respondendo a vários habitantes da Nazaré, garantiu que não ficará mais de dois mandatos na Câmara e, desafiado a isso, aceitou fazer pelo menos uma promessa, já que, de resto, só aceitou prometer fazer o que estiver ao seu alcance: que, se for eleito, a Nazaré será o primeiro bairro que visitará na qualidade de presidente da Câmara.
Ao contrário do que aconteceu há dias com alguns candidatos do PP, recebidos com frieza, segundo conta o residente na Nazaré que contactou o 'Fénix', Cafôfo não só convenceu claramente os eleitores da área da oposição como entusiasmou os que são próximos do PPD, como é o caso do próprio cidadão que nos cedeu estas informações - por sinal funcionário público. 
Uma mensagem deixada por Paulo Cafôfo é que o PPD também fez obras úteis no Funchal, mas que "há muita coisa mal feita". Exemplificou o 'mal feito' com a cota 500, obra inacabada da Madeira Nova que para nada serve, praticamente.
O brilharete de Cafôfo no Bairro da Nazaré, terreno difícil mesmo para quem sempre ganhou eleições, como se viu nos últimos tempos, enquadra-se no crescendo patente nas suas mais recentes intervenções em público, depois de um período longo de sombras em que o cidadão eleitor só sabia que o candidato é professor e sindicalista. 
A entrevista na Antena 1 ajudou a dá-lo a conhecer e espera-se que a próxima entrevista na RTP-M funcione como a explosão que os simpatizantes da Coligação esperam.
Dado que o PS está a lançar-se em acções políticas a toda a largura do terreno e que os restantes partidos da coligação já revelaram qualidades capazes de mobilizar a opinião pública, prevê-se para os próximos dias uma forte animação na corrida autárquica do projecto 'Mudança', porque o 29 de Setembro fica logo à esquina.


Depois do concorrido comício no Porto Santo, com António José Seguro e Victor Freitas, o PS-M, que integra a coligação 'Mudança', também sentiu calor humano na festa do partido, domingo.

Eleições Autárquicas


Táctica de Felipe Scolari 
não resulta na Ponta do Sol


Os social-democratas pontassolenses não aderiram à ideia do líder local, Rui Marques, de encher as zonas residenciais com bandeiras do PPD. Essa táctica, criada por Felipe Scolari para o Euro de Futebol 2004, mobilizou notavelmente os portugueses com bandeiras nacionais por todo o lado, gostassem ou não de futebol, de tal modo que a Selecção lusa jamais teve um apoio como nessa prova, disputada em Portugal.
As consequências práticas resumiram-se ao 2.º lugar na prova, já que a Grécia nos deixou a falar troiano.
Agora, no caso da Ponta do Sol, onde o actual presidente da Câmara despachou sms's incentivando à onda laranja, o curioso é que a única bandeira que se vê é uma no sítio dos Arrifes... mas uma bandeira verde-encarnada de Portugal, ainda do tempo de Scolari.
O eng.º Rui Marques, cercado como se encontra por forças particularmente aguerridas a disputar-lhe os órgãos concelhios, terá de se entregar realmente "de alma e coração pela Ponta do Sol". Como, de resto, promete o premonitório cartaz de propaganda que mandou colocar nos últimos dias.



Pico do Areeiro visto do cais... com moldura



27 Ago 2013, 19h


MADEIRA NOVA


Vandalismo na Entrada da Cidade

MADEIRA NOVA





Rua dos Ferreiros
Quarta-feira, 28 Ago 2013, 7h50 


MADEIRA NOVA


Quarta-feira, 28 Ago 2013, 8h10


terça-feira, 27 de agosto de 2013

Madeira Nova




SECRETARIAS REGIONAIS À ESMOLA

Elevador de Jardim Ramos avariado

O elevador da Secretaria Regional dos Assuntos Sociais encontra-se avariado desde há 3 dias e não há verba para o consertar. Consequência: o titular da pasta, Jardim Ramos, ainda estafado por causa da esfrega nos incêndios, precisa de subir 3 andares toda a vez que aparece ao serviço.
Ventura Garcês, o secretário do dinheiro que não pode mexer em dinheiro, nem por sombras consegue resolver o problema do colega. Não sabemos se 'Meio Chefe' já meteu uma cunha nas Finanças para devolver o elevador operacional a Jardim Ramos. Mas, mesmo que grite, ninguém ouve já o homem das Angústias...


Secretaria de Jaime tem mistério

Causa perplexidade no interior da Junta Geral a circunstância de o secretário da Educação conseguir verba para a manutenção das instalações à sua guarda - desde os trabalhos de pedreiro aos de electricista, ar condicionado e outros. Ou seja: em tempo de contenção de despesas, o secretário 'desconfiado' - que mantém sequestrados os motoristas dentro de 4 paredes - lá consegue 'cheta' para se desenrascar. Será que o congelamento dos escalões dos profes ajuda? Ou será tudo fiado?
Aqui na esplanada do Golden, comenta-se o péssimo estado da fachada da JG incluindo a Secretaria da Educação, mas Jaime alega que isso já não é da sua área, é lá com os cabos. 


Directores não largam os carros

Chegou-nos aos ouvidos que havendo na Secretaria do Plano duas viaturas oficiais avariadas (ou será apenas falta de pneus?), aquela que está a funcionar é a normalmente utilizada por Ventura Garcês, o secretário do dinheiro que não pode mexer em dinheiro. Acontece que Garcês está prestes a regressar das férias que passou na sua casa do Porto Santo. E agora?
É que os dois carros avariados costumam estar ao serviço de 2 directores regionais - os únicos intocáveis a quem não foi aplicada a ordem do 'Meio Chefe' para não dar carro a ninguém. Falamos do chefe do Tesouro e do chefe da Informática. 
Até aqui, o carro de Garcês tem desenrascado. Doravante é que não sabemos como irão certas figuras da Secretaria em causa almoçar a casa num popó governamental. 
Ou a Região arranja dinheiro para gastos ou qualquer dia teremos os quadros a ter de viajar nos seus próprios automóveis - que maçada!
A sério: bem hajam os secretários do Ambiente e do Turismo, que de há uns meses para cá não dão benesses a ninguém, sejam directores regionais ou não - nem carro nem motorista nem combustível, nada.
A vida está má para todos.
K33