sexta-feira, 27 de junho de 2014

BRASIL


UM PROFESSOR E POLÍTICO MADEIRENSE
PRESO A FAZER MERCADO NEGRO
COM BILHETES PARA O MUNDIAL

Queremos acreditar que tudo isto não passa de um grande equívoco; aliás, não existe ainda condenação, como é natural. Mas as perspectivas são negras. A pena de prisão vai até aos 5 anos!



Tivemos de navegar em vários jornais electrónicos para poder acreditar na notícia que nos chegava: que um professor de gestão madeirense de 28 anos, dirigente da JSD-M, caíra nas mãos da polícia brasileira quando vendia clandestinamente bilhetes para jogos do Mundial, incluindo o Portugal-Gana de ontem.
Afiançaram-nos que se tratava de José Daniel Rodrigues Caires, presidente do núcleo da JSD-Santo António, que nos tempos de José Pedro Pereira foi presidente da Jota/Funchal, saindo na altura para voltar mais recentemente como membro do conselho regional da JSD de Rómulo Coelho e presidente local em Santo António. 
Na sua página facebook, Daniel Caires, antes do sucedido, explicava estar o seu número de telemóvel indisponível no Brasil, mas apresentando um outro, circunstancialmente acessível.
Porquanto estamos distantes dos acontecimentos, deixamos ao Leitor os trabalhos dos nossos colegas brasileiros (Globo e Folha) e português (CM), com a vénia da ordem.




GLOBO


Português é preso vendendo ingresso da Copa em hotel de Brasília


Estrangeiro de 28 anos tinha ao todo 46 entradas, todas válidas, diz polícia

Com ele também foram encontrados R$ 19 mil, US$ 14 mil, e 1,5 mil euros


Ricardo Moreira

Dinheiro e ingressos apreendidos com português em Brasília nesta quarta-feira (25)
(Foto: Ricardo Moreira/G1)

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu em flagrante nesta quarta-feira (25), em um hotel cinco estrelas de Brasília, um venezuelano naturalizado português vendendo ingressos da Copa do Mundo para um brasileiro. Também foram apreendidos no quarto onde o suspeito estava hospedado R$ 19 mil, US$ 14 mil, e 1,5 mil euros.
José Daniel Rodrigues de Caires, de 28 anos, tinha ao todo 46 entradas para diversas partidas do Mundial. De acordo com a polícia, todas são válidas e foram emitidas em nomes de diversas pessoas. Os ingressos foram comprados na Europa.



Lista de supostas encomendas para ingressos encontrada com português preso (Foto: Ricardo Moreira / G1)

Segundo o delegado-chefe da Coordenação de Repressão a Crimes contra o Consumidor (Corf), Jefferson Lisboa, Caires disse que tinha saído de Salvador (BA) e desembarcado em Brasília na terça-feira (24). Ele planejava voltar para Portugal nesta sexta (27). Nesse período ele disse à polícia ter vendido sete ingressos.


De acordo mcom Lisboa, as entradas estavam sendo vendidas praticamente pelo dobro do preço cobrado pela Fifa: R$ 600 (categoria 1), R$ 650 (categoria 2) e R$ 1.750 (categoria 3). O suspeito chegou a divulgar a venda dos ingressos em redes sociais, disse o delegado.

Delegado-chefe da Coordenação de Repressão a Crime
contra o Consumidor (Corf), Jefferson Lisboa.

Caires carregava uma lista de encomendas para mais ingressos. Lisboa diz que a investigação agora terá como objetivo tentar identificar quantas pessoas ao todo podem estar envolvidas com o esquema.
O delegado afirma que Caires seria indiciado por tentativa de estelionato, porque os direitos de comercialização das entradas para os jogos são exclusivos da Fifa.
A pena pelo crime pode chegar a cinco anos de prisão em caso de condenação. O delegado disse que o português deve responder pelo processo no Brasil e, se condenado, cumprir a pena no país. Após isso, ele poderá ser expulso do Brasil. O brasileiro que comprava ingressos de Caires figura como vítima da ação do suspeito, informou a Polícia Civil.
O delegado afirma que os investigadores chegaram até o suspeito após uma denúncia anônima relatando que Caires estava comercializando as entradas no próprio hotel. Foi estipulada fiança de R$ 20 mil, valor que não tinha sido pago até a publicação desta reportagem.
Parte dos ingressos era para o jogo entre Portugal e Gana nesta quinta-feira (26). A partida será realizada às 13h no Estádio Mané Garrincha em Brasília "Se tiver um 'clarão' no estádio [Mané Garrincha], a culpa é nossa", disse Lisboa ao explicar que os ingressos ficarão retidos durante o processo na Justiça.


A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu em flagrante nesta quarta-feira (25), em um hotel cinco estrelas de Brasília, um venezuelano naturalizado português vendendo ingressos da Copa do Mundo para um brasileiro. Também foram apreendidos no quarto onde o suspeito estava hospedado R$ 19 mil, US$ 14 mil, e 1,5 mil euros.
José Daniel Rodrigues de Caires, de 28 anos, tinha ao todo 46 entradas para diversas partidas do Mundial. De acordo com a polícia, todas são válidas e foram emitidas em nomes de diversas pessoas. Os ingressos foram comprados na Europa.
Segundo o delegado-chefe da Coordenação de Repressão a Crimes contra o Consumidor (Corf), Jefferson Lisboa, Caires disse que tinha saído de Salvador (BA) e desembarcado em Brasília na terça-feira (24). Ele planejava voltar para Portugal nesta sexta (27). Nesse período ele disse à polícia ter vendido sete ingressos.


De acordo mcom Lisboa, as entradas estavam sendo vendidas praticamente pelo dobro do preço cobrado pela Fifa: R$ 600 (categoria 1), R$ 650 (categoria 2) e R$ 1.750 (categoria 3). O suspeito chegou a divulgar a venda dos ingressos em redes sociais, disse o delegado.



Português é preso em Brasília
por vender ingressos da Copa do Mundo

Mariana Haubert



tópic



Apanhado a vender bilhetes: 

Português preso em Brasília 


Professor do Funchal, de 28 anos, fará parte de rede organizada

Um professor de Gestão, do Funchal, foi detido em Brasília na posse de meia centena de bilhetes para jogos do Mundial, que vendia a preços acima do estipulado. O candongueiro foi preso no hall de um hotel de cinco estrelas, em flagrante, ao fazer a entrega de bilhetes para o Portugal-Gana a ‘clientes'. Os bilhetes estavam a ser vendidos a um mínimo de 200 euros - a entrada mais barata da FIFA era de 20 euros. Segundo o CM apurou José Caires, de 28 anos, tinha colocado uma mensagem na rede social Facebook, onde mostrava vários molhos de bilhetes e perguntava: "Bilhetes pro #mundial2014. Quem quer?".


15 comentários:

Fernando Vouga disse...

Caro Luís Calisto

Estou em crer que o rapaz foi vítima de uma armadilha quiçá montada pela Maçonaria e a Trilateral. No entanto, se ele estava convencido de que os brasileiros são burros e enganava a polícia, foi bem feito.

Anónimo disse...

Calisto espero que ignore a catadupa de comentários anônimos que irão chegar aí a dizer mal gratuitamente do Daniel. Haja respeito pela família e pelos verdadeiros amigos. Daniel errou, em princípio, mas está a pagar da pior maneira. Uma prisão no Brasil não é a da Cancela ou a dos Viveiros. Calisto peço-lhe que tenha essa atenção por favor. Obrigado.

Jorge Figueira disse...

O "produto" mijinhas fertilizou os pneus da PSP este, ao que parece, trará que contar das Terras de Vera Cruz. Na nossa juventude, meu Caro Fernando,numa sessão de cinema, antes do filme principal, nas Actualidades francesas ouviríamos: assim vai o Mundo!
Os nossos Homens Públicos dão-nos disto. Uns constroem castelos cujas ameias são as que refere outros parecem querer transpor os limites da Lei.
Venham as cenas dos próximos capítulos que, espero eu, para bem da nossa sanidade mental, seja já um Happy End. jorge Figueira

Luís Calisto disse...

Caro anónimo
Tem toda a razão. Até porque o 'Fénix' não é uma fogueira da Inquisição.
Assim, fica determinado desde já: comentários, neste caso, só com identificação clara.
Há gente pura capaz de atirar a primeira pedra, não é? Vamos esperar que se mostrem.

Fernando Vouga disse...

Caro Luís Calisto

Pronto. Tudo bem.
Só não percebo a que propósito se fala do respeito pela "família e verdadeiros amigos". Caso seja verdade a notícia, quem lhes faltou ao respeito foi o presumível culpado, que não se lembrou deles.
A menos que seja "mais igual" do que os restantes cidadãos e, portanto, não susceptível de ser comentado.

Luís Calisto disse...

Caro Coronel Fernando Vouga
Tem toda a razão. Aliás, quem erra tem de pagar o erro.
Da minha parte, o meu comentário tem destinatário específico, que nada tem a ver com a crítica objectiva enquanto tal.

Anónimo disse...

A JSD nos últimos tempos é noticia pelas piores razões que bando de corruptos.

Anónimo disse...

Sr Calisto...a ter que por foto,devia de ser uma em que essa pessoa estivesse só...expor toda gente...quando puser uma de Alberto João por qualquer motivo,ponha com todos os que estão a volta dele...Albuquerque, manuel antonio,Sérgio marquês,cunha,miguel Sousa,André freitas e companhia limitada... Ft

Anónimo disse...

Vejam lá que, apesar do rapaz ser político, muito próximo ao actual diktat da organização de juventude em referência, este é um caso criminal. É de todo disparatado tirar quaisquer outras ilações IMO.

Anónimo disse...

Pergunto-me como é que o Presidente da JSD não retira a confiança política ao José Caires? Cumplices?

Anónimo disse...

A ligação política que estão a fazer é ridícula.

Anónimo disse...

Será coincidência o nome da JSD estar ligada a certo tipo de pessoas?

Anónimo disse...

Em resposta ao anónimo das 22.33, permita apenas que diga que esta gentinha não tem vergonha nenhuma na cara. O indivíduo em questão foi detido em flagrante delito num país estrangeiro e os outros ainda têm de fazer uma vénia ao dito cujo, não vão os familiares e amigos sentirem-se ofendidos... Haja vergonha na cara!
A menos que se tratasse de uma demonstração de empreendedorismo, muito em voga, já que é professor de gestão... Resta saber se a polícia brasileira vai nessa...

Anónimo disse...

Veio querer fazer graça no nosso país se ferrou, agora vai ser expulso pra nunca mais pisar no Brasil!

Anónimo disse...

ao das 16:36
é tudo lenha da mesma cunha!