sábado, 28 de fevereiro de 2015

Pré-Campanha




ALBUQUERQUE EM SANTA QUITÉRIA

Acções de propaganda ao longo deste sábado




Pré-Campanha


RODRIGUES ACUSA LÍDER DO PSD 
DE FUGIR A DEBATE 
SOBRE FISCALIDADE

- Acusação durante a apresentação do programa de governo do PP, este sábado num hotel funchalense







Pré-Campanha


BLOCO NO TERRENO
EM CAMPANHA
DE ESCLARECIMENTO




O Bloco de Esquerda tem realizado, junto das populações, uma campanha sóbria e pedagógica, de auscultação dos problemas das pessoas e de apresentação das suas iniciativas. 
O contacto, pessoa a pessoa, de grande proximidade, tem permitido aos candidatos bloquistas aferirem o sentir popular de que o Bloco Faz Falta no Parlamento, de onde têm estado arredadas as discussões e as propostas políticas para inverter o caos social criado por vários anos de políticas de austeridade, de cortes, de roubos nos salários e nas pensões, de aumento de impostos e pobreza extrema. 
Os candidatos bloquistas têm alertado a população para o perigo do Bloco voltar a ficar fora do Parlamento: "É preciso na Assembleia uma Oposição Forte, de Protesto mas que seja, simultaneamente de Proposta. Porque o Protesto Sem Projecto, no Parlamento, já provou, na última legislatura, não resolver problema algum!"










JARDIM BOTÂNICO JOSÉ DO CANTO
GUIA DAS ÁRVORES NOTÁVEIS


O GUIA DAS ÁRVORES NOTÁVEIS
do Jardim Botânico José do Canto
já está disponível à entrada do jardim e on line



Se for a São Miguel reserve uma manhã ou uma tarde para visitar este JARDIM ROMÂNTICO NO CORAÇÃO DE PONTA DELGADA

Raimundo Quintal

Pré-Campanha





(Texto e foto: JPP)

Pré-Campanha


Victor Freitas quer jovens madeirenses 
a criar riqueza na nossa terra


O candidato a Presidente do Governo Regional pela Coligação Mudança lamentou hoje que as políticas praticadas nas últimas décadas tenham obrigado muitos jovens a emigrar e garantiu que o combate ao desemprego desta geração será prioridade do próximo Governo da Mudança.

"Se olharmos para as estatísticas, desde 2008, a Madeira é, infelizmente, líder em matéria de desemprego jovem. Mais de 50 por cento dos jovens estão no desemprego, ou seja, um em cada dois jovens não consegue arranjar emprego", descreveu Victor Freitas, à margem de uma ação de pré-campanha que decorreu este sábado, no Funchal.

Durante a manhã, os candidatos da Coligação Mudança ouviram jovens confrontados com o drama do desemprego e muitos pais cuja principal preocupação é a situação por que passam os seus filhos.

"Queremos inverter esta situação. Mas essa inversão só pode ser feita travando a austeridade e apostando de crescimento económico. Para isso é urgente - e essa é a primeira medida que vamos tomar - renegociar a dívida, para pagarmos menos em cada ano e para podermos captar fundos europeus que permitam fazer investimento e criar emprego", explicou Victor Freitas. Por outro lado, sublinhou, se assim ganhamos folga financeira para poder baixar os impostos, permitindo às empresas contratar mais pessoas e para que economia comece a crescer.

"Não me conformo com o facto de este Governo que nos tem governado arraste a geração mais qualificada para fora da sua terra. E eu quero os jovens na Madeira, a criar riqueza, a modernizar o nosso tecido económico, a aproveitar os fundos europeus e a criar emprego", defendeu.

(Texto e foto: coligação 'Mudança')

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Vida Municipal



Conforme agendado, decorreu esta sexta-feira mais uma sessão ordinária da assembleia municipal do Funchal. Vários eram os pontos que prometiam polémica. O que veio a verificar-se, conforme narra o nosso agente Kapta-Kuaze-Tudo. A palavra para ele.




Assembleia contraria câmara
no caso do júri das nomeações

Parte mais relevante da manhã, no período antes da ordem do dia: o PSD confrontou o Presidente da CMF com umas passagens duma recente edição do mensário satírico Quebra Costas, cujo director é o líder do PTP (José Manuel Coelho) que desvela graves acusações e depreciações grosseiras ao edil do Funchal, bem como a um conjunto de seus assessores da área socialista. Esta confrontação visava saber, como é que o Presidente convive com o seu parceiro (PTP), na coligação mudança que governa o Funchal, e até os restantes partidos que a compõem, não apenas na autarquia funchalense, como também na reedição da coligação Mudança que se candidata para governar a Região a partir das próximas eleições de finais de Março.

A resposta do Presidente foi que na coligação há "PLURALIDADE". 
Ora, se isto é pluralidade, o que não será a agressão gratuita e a convivência desta gente, não só numa câmara paralisada, como também na aspiração duma coligação homónima com as mesmas forças políticas intervenientes, a formarem um hipotético governo regional!!

Outro prato forte dos trabalhos foi a terceira tentativa de aprovação do Plano de Investimentos do Município. Após dois chumbos, o executivo municipal da mudança, lá tentou negociar com a CDU, que fez incluir algumas intervenções nas zonas altas, conforme já se sabia da reunião da vereação de câmara, e assim o plano lá foi aprovado com os votos da mudançaCDSCDU, com a abstenção dos restantes grupos municipais - PSD PND. Esta câmara já tem os instrumentos todos para no seu 2.º ano mostrar o que vale, já que no 1º, apenas alterou a "orgânica" da vereação, para uma mais "ROSE-FRIENDLEY", e colocou uma placa toponímica numa obra alheia.

Na parta da tarde, o ponto polémico era o da indicação da composição de júri para prover os cargos dirigentes de 1º grau a directores dos vários departamentos municipais decorrentes da nova orgânica municipal. A proposta não resistiu à (falta de) transparência. A Mesa da Assembleia, contrariando aquilo que havia sido acordado, quis que a votação fosse directa e não de forma secreta como estabelecido em reunião de líderes. Algo que logicamente foi liminarmente recusado e a votação procedeu-se por voto secreto. A votação determinou a rejeição da pretensão da câmara.
Isto é: a pretensão do executivo no 4.º ponto da ordem de trabalhos (Proposta de Designação de Júris para Recrutamento de cargos de Direcção Intermédia de 1º Grau) foi chumbada por voto secreto!
Um bico-de-obra.

Kapta-Kuaze-Tudo

Pré-Campanha


CURSOS TÉCNICOS DA UNIVERSIDADE
PARA REDUZIR DESEMPREGO JOVEM











Pré-Campanha




Pré-Campanha


Victor Freitas garante que não será o bolso dos madeirenses a resolver os problemas da Saúde



Victor Freitas assegurou hoje que um Governo sob a sua liderança não irá buscar dinheiro aos bolsos dos madeirenses e porto-santenses para resolver os problemas da Madeira, nomeadamente na área da Saúde. 

“Acabou o tempo em que se prometia tudo a todos. Hoje não existem recursos financeiros. E quem quer ser Presidente do Governo Regional tem de dizer onde vai buscar esses recursos. Uma coisa é certa: da parte da Mudança, podem ter a certeza que não vamos aos bolsos dos madeirenses buscar esses recursos”, afirmou o cabeça de lista da Coligação Mudança, acrescentando: “Nos últimos quatro anos, o Governo já espoliou os madeirenses através de impostos”.

No final de uma audiência com o Conselho de Administração do SESARAM - Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira, o candidato a Presidente do Governo Regional afirmou que é intenção da Coligação Mudança reforçar o sistema de saúde através da contratação de profissionais – médicos, enfermeiros e auxiliares - e da construção de um novo hospital, mas que o primeiro passo para concretizar essas medidas é renegociar a dívida da Madeira.

“Vamos avançar com um plano credível de resolução do problema das listas de espera para cirurgias. Mas esse plano só se consegue com recursos financeiros, renegociando a dívida”.

Victor Freitas criticou ainda os partidos que apresentam soluções, nomeadamente na área da Saúde, sem explicarem como as financiam. E desafiou os candidatos a abandonarem o “jogo da ocultação” que engana os madeirenses e a fazerem uma “campanha de verdade”.

“Não vale a pena - como outras forças partidárias têm dito - que vão arranjar cheques de saúde. Os cheques de saúde só são válidos se tiverem cobertura financeira. E, até hoje, esses partidos não demonstraram onde é que vão buscar essa cobertura. É fácil para qualquer candidato dizer que vai fazer um novo hospital. O problema é demonstrar onde é que vai buscar recursos financeiros”, concluiu.

(Texto e foto: coligação Mudança)

Cultura




Pré-Campanha


AFAZERES EM BRUXELAS
PREJUDICAM 'MUDANÇA'




Figuras da área do PS-Madeira encontram-se na capital belga para tomarem parte em jornadas no âmbito do Parlamento Europeu com inquestionável interesse para os destinos da Região Autónoma, conforme se pode inferir da imagem enviada ao 'Fénix'.
Há um problema: a inadiável deslocação política ocorre numa altura em que supostamente todas as forças integrantes da coligação 'Mudança' deviam estar concentradas nas acções de pré-campanha eleitoral em curso na Madeira. É que falta praticamente um mês para o acto eleitoral em que Victor Freitas e demais candidatos coligados apostam para expulsar do poder o recauchutado Laranjal.
Muita importância deverá ter a diligência no PE programada por Liliana Rodrigues, eurodeputada socialista que, segundo camaradas seus de partido, se está a desenvencilhar satisfatoriamente das funções de agente de viagens em Bruxelas.
No caso, entre outras figuras, encontra-se naquelas andanças o presidente da principal concelhia socialista da Madeira, Miguel Iglésias, que, bem vistas as coisas, nem sequer vem tomando parte muito activa nas acções de campanha.
Fazendo um paralelismo com a situação no PSD-M, sabemos de resistentes do encarquilhado regime que rezam devotadamente para que o ainda Meio Chefe se meta depressa no avião de carreira para Bruxelas, deixando de perturbar todos os dias a campanha eleitoral do seu partido. Não esqueçamos que às segundas, quartas e sextas o Ressabiado das Angústias escreve no JM contra o voto no novo PSD-Madeira, porque agachado ao colonialismo de Passos; e às terças, quintas, sábados e domingos desincentiva o voto em Miguel Albuquerque, porque irmãozinho da maçonaria.
"Que vá para Bruxelas com quem quiser", perdem a paciência os activistas do meio PSD actualmente em corrida eleitoral.
Mas há miguelistas com mais visão a pedir o contrário, ou seja, que rezam a todos os santinhos para que Rei da Tabanca não se ausente da Região até 30 de Março - e que, se sair, leve o computador portátil. Estes miguelistas, mais astutos, sabem que, como aconteceu nas internas, a malcriada cruzada jardineirista contra Albuquerque é decisiva para a maioria absoluta sonhada.
No caso do presidente da concelhia socialista do Funchal, julgamos que o caso não é este. Sem querermos meter foice em seara alheia, admitimos mesmo que esteja a ser levado em conta que a campanha eleitoral propriamente dita ainda não começou. Além de que, com a perfomance da 'Mudança' municipal neste curto período de mandato, indiscutivelmente o Funchal está ganho.

Pré-Campanha


'FRANKENSTEIN' HORRORIZA O FUNCHAL




Dr. Saturnino, deixe-se ficar quieto na sua merecida reforma. Isto aqui por baixo não tem cura. Nem com tratamento de choque!


José Manuel Rodrigues concordava, um dia destes: a política regional, como a nacional, está feita um filme de ficção. Pois o presidente do Partido Popular pegou nessa interpretação à letra. E, à conta da sua mudança estratégica, que aconteceu esta manhã nas zonas de propaganda partidária do Funchal? 
O que aconteceu foi o transeunte, a caminho de mais um dia de canseiras, deparar-se, aterrado, com uns cartazes que só não horrorizam tanto como os quadros góticos do Frankenstein ou do Dr. Jekyll/Mr. Hyde porque os rostos originais que servem de modelos às horripilantes montagens dão uma certa ideia de serenidade.
Sim, a Benetton enveredou por uma publicidade polémica que, ao nível apelativo, produziu resultados contraditórios uns com os outros. Logo, alguns bons, também. O caso desta junção de meia cabeça de Zé Manel com meia cabeça de cidadãos anónimos pode querer significar uma profunda identidade do partido madeirense de centro-direita com as massas populares. Mas, se consegue esse objectivo, é com um mau gosto em toda a linha.
Repare o Leitor nas imagens:









Lindo!
Percebe-se que Zé Manel queira convencer o povo dos seus bons propósitos para resolver, custe o que custar, os dramáticos problemas dos reformados, da juventude, das famílias em geral e até a situação do agricultor João Faúlha. Agora o veículo para transmitir a mensagem não parece resultar da melhor ideia do universo. 
Aquilo é inventar problemas. Complicar o que é simples.
De facto, uma pessoa normal olha para aqueles cartazes e dá vontade de fugir. Apre! Dos tempos da comédia jardinista passámos ao ciclo do fantástico?
É verdade que a pré-campanha eleitoral em curso parece a caminhada fúnebre para um enterro. Não se vê ninguém na rua a mostrar dinâmica, ambição de vitória. É como naqueles jogos de futebol em que todos jogam para perder por poucos. No caso, é de ponta a ponta do espectro partidário/coligações.
Mas também assim, amigos do PP!... 
Pedimos ontem ao Dr. Saturnino que viesse fazer uma perninha para endireitar certas cabeças perturbadas nas profundezas do Laranjal. Agora que vemos esta epidemia de loucura por contágio, pois que o homem continue descansado na sua reforma. Uns quantos mestres dão conta do recado na execução da conhecida e batida receita do Dr. Aníbal Faria: expandir as cercas do Trapiche a toda a ilha.

PS - Caro Zé Manel, homem experiente da imagem, da TV: quanto tempo conta o Amigo manter o filme de terror em exibição? Assustar o povo deste feitio quem quer fazer coligação de governo...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Cultura - a não perder







Pré-Campanha


LUÍS MIGUEL FRANÇA
IMPLANTA 'MUDANÇA' NO NORTE


O jornalista de televisão Luís Miguel França, candidato às regionais pela coligação 'Mudança', tem manifesto eleitoral específico para São Vicente. Contando com o apoio de Álvaro Noite, atleta olímpico, e de César Gregório Pereira, vereador naquele município, O ex-deputado socialista em São Bento sabe do que fala nas propostas elaboradas, uma vez que, em São Vicente, está a 'jogar em casa'.




Pré-Campanha


PSD E ALBUQUERQUE SÃO CULPADOS POR A REGIÃO
NÃO ACOMPANHAR AÇORES NA DESCIDA DE IMPOSTOS

O PP-M numa roda viva: conferência de imprensa, reunião com advogados e contactos de rua