sábado, 30 de abril de 2016

Internas no CDS (ACTUALIZAÇÃO)




MOBILIZAÇÃO INUSITADA ELEGEU 
NELSON FERREIRA LÍDER NO FUNCHAL

Os apoiantes de Nelson Ferreira festejam a vitória que coroa um processo eleitoral polémico e desafiam Ricardo Vieira e seguidores a desimpedir a loja para deixar trabalhar os vencedores

Nelson Ferreira

A polémica que se temia viesse a ensombrar o acto eleitoral desta tarde na Rua da Mouraria extinguiu-se antes do início da votação. A Lista A, que defendia a utilização do voto por procuração, resolveu desistir da ideia para não dar pretextos aos rivais, anulando assim qualquer reacção da Lista B nesse capítulo. A eleição para a Comissão Política Concelhia do Funchal decorreu dentro de toda a normalidade, assim como a que escolhia os nomes para a Mesa do Plenário Concelhio.
De anormal, apenas a inesperada afluência em peso dos militantes centristas da capital, que confessavam uns aos outros nunca ter visto mobilização igual em actos destes.
Desse modo, a lista encabeçada por Nelson Costa Ferreira, conotada com a actual Direcção do CDS-PP, venceu com 129 votos a favor. Rui Barreto, presidente cessante desta concelhia e actualmente deputado centrista, foi eleito presidente da Mesa do Plenário Concelhio.
Os derrotados receberam 65 votos: Américo Dias, que se candidatava a presidente da Concelhia, e Ricardo Vieira, um dos históricos presidentes do partido, que concorria à Mesa do Plenário.
A eleição foi pacífica e menos renhida, em termos de votação, do que a polémica dos últimos dias fazia prever. Porém, há apoiantes da equipa vencedora que não consideram a luta terminada. Pelo contrário, exigem uma mudança de comportamento dos derrotados e "a partir de amanhã".
A contestação dos vencedores visa principalmente Ricardo Vieira, de quem dizem ter sofrido dois desaires em escassos 5 meses - um no congresso do partido e este agora nas eleições da concelhia funchalense. 
Segundo esses centristas, Ricardo Vieira e seguidores não permitiram que a equipa dirigente do partido, encabeçada por Lopes da Fonseca e Rui Barreto, beneficiasse do estado de direito a que tinha direito após a vitória em congresso, Dezembro. Com esta segunda derrota, Vieira e quem o apoia devem retirar ilações da nova situação no partido. "Se têm um mínimo de dignidade, que se retirem do palco e deixem trabalhar quem recebeu mandato para isso", disseram-nos.
Fontes próximas da Direcção dizem ter elementos que permitem concluir que entre os militantes pouco interessados em ver o partido seguir no caminho do êxito está o anterior líder, José Manuel Rodrigues, que deixou transparecer nos últimos dias a sua simpatia pela Lista B, derrotada hoje.
Relevando a grande afluência registada nesta eleição, a ala que actualmente dirige o CDS-PP diz que a hora é de procurar unir todos os militantes e simpatizantes que desejam colaborar. A esperança é que o dinamismo patenteado hoje na Rua da Mouraria continue nas eleições para as restantes concelhias da Região.
"Quem quiser trabalhar é bem-vindo e quem quer continuar a empatar, apesar de derrotas sucessivas, que se afaste de uma vez", rematam os adversários de Ricardo Vieira e apoiantes.





Internas no CDS-M


NELSON FERREIRA NOVO LÍDER
DA CONCELHIA DO FUNCHAL




A lista A, encabeçada por Nelson Ferreira, arrecadou cerca de 65% dos votos dos militantes funchalenses. Pelo que Rui Barreto é o novo presidente da Assembleia Concelhia.
O derrotado do dia é Ricardo Vieira, apesar de o cabeça-de-lista à comissão ser Américo Dias. O antigo presidente do partido empenhou-se intensamente no processo eleitoral, mas também não chegou ao lugar que perseguia, o de presidente da Assembleia. 

Autarcas JPP do Caniço levam a melhor


CONSELHO REGULADOR DA ERC OBRIGA JM
A PUBLICAR DIREITO DE RESPOSTA

O JM publicou uma peça a 4 de Março aventando que os autarcas do JPP na Assembleia de Freguesia do Caniço estavam decididos a demitir-se em bloco, pelo que estavam à vista eleições intercalares para remediar a contenda. Os 3 visados não concordaram com o conteúdo da notícia e apresentaram um direito de resposta na Fernão de Ornelas... que o jornal entendeu "não ter relação directa com o conteúdo inicial".
Seguiu recurso do Caniço para Lisboa. A deliberação da ERC acaba de chegar: o JM publica mesmo o texto do direito de resposta e depressinha, porque há penalização por cada dia que ultrapasse os prazos estipulados.
Bem, como o JM tem sempre onde ir buscar dinheiro com a maior das facilidades, é capaz de contrariar a ERC só para, mesmo à custa de pesadas multas, não dar glórias ao JPP. Esperemos pelo desfecho da 'pega'.
Deixamos o texto integral da ERC, para os interessados na matéria, que deveriam ser os Leitores todos.



Azares


Marca "Turismo do Funchal": Cafofo ultrapassado pela Associação Académica da UMa


O presidente da Câmara assina hoje um artigo no DN-Madeira onde, com pompa, anuncia que está a trabalhar «para construir a marca "Funchal Capital Cultural do Atlântico"» e com ela desenvolver actividades culturais. O problema é que já vai um pouco tarde, porque a Associação Académica da Universidade da Madeira registou há meia dúzia de dias a marca «Turismo do Funchal», que abrange a «realização de eventos culturais, educativos, desportivos e eventos de atletismo».
Por estas alturas na CMF anda-se a rogar pragas à AAUMa e a perguntar: o que raio têm a ver os universitários com o «Turismo do Funchal» e com os eventos culturais, educativos e desportivos da capital da Madeira? Mas no Campus da Penteada a resposta já está na ponta da língua: temos tanto a ver com o assunto como o presidente da Câmara tem a ver com a política dos transportes aéreos e com as comunidades portuguesas residentes na Namíbia.
A. Rodrigues



TURISMO EM RUÍNAS




Não será preciso trabalhar muito para, como diz o Mayor no DN de hoje, construir a marca 'Funchal, capital cultural do Atlântico'. A primeira percepção que temos, ao passar pelas vielas da urbe, é o itinerário natural de ruínas que tomara muitas cidades desse mundo poderem gabar-se de possuir. Évora tem meia dúzia de colunas desengonçadas e capitéis coríntios mal-amanhados e ainda assim levou a Unesco a considerar a hipótese de 'Templo de Diana' à condição de património mundial! Conímbriga é um amontoado de restos de casebres romanos que não chega aos calcanhares do nosso Largo do Pelourinho ou da fantasmagórica Confeitaria Felisberta e veja-se o 'cagaçal' que fazem com aquilo.
Defendamos o que é nosso. Observemos o itinerário que fizemos esta manhã de sábado, empolgados pelas palavras sábias do Mayor lá no jornal, e reconheçamos as nossas potencialidades. Ou os Leitores querem dar razão aos que dizem que o madeirense é o maior inimigo do madeirense?
Venham daí, Leitores. Você em especial, Cafôfo. Veja de perto a sua cidade. Deixe a moto quieta.

















Diz o Leitor, depois do tour, que isto não são ruínas para turismo, mas bandalheira urbanística? Bem... a ser verdade, então o Mayor que chame a atenção do governo, da igreja, dos privados implicados neste cenário e principalmente chame a atenção a si próprio e à sua câmara. E sobretudo não nos chame parvos nos seus escritos de boletim.

Em defesa de Cafôfo





ALBUQUERQUE TAMBÉM OCUPAVA UMA LINHA
NAS PLACAS DAS INAUGURAÇÕES





Depois da tempestade que varreu o Funchal quando o Mayor resolveu ocupar a última linha dos dizeres da placa hoje alapada no Lido, assinalando a inauguração em 2016 de uma obra de 1932, eis que fomos encontrar esta manhã uma placa mais antiga em que Miguel Albuquerque, então presidente da Câmara, fez praticamente a mesma coisa.
Quem passar pelo simpático restaurante 'Almirante', no Largo do Poço, poderá ver com os seus olhos: o nome de Albuquerque ocupa o mesmo espaço que ocupou o de Cafôfo na moderna praia, este precisando até de espaçar as letras para figurar de ponta a ponta da linha.
É verdade que na placa do Lido, em contraste com o actual edil funchalense, o nome de 'António Costa' aparece encolhido a um canto, empurrado pela descrição do cargo, e assim não atinge metade do espaço do 'Paulo Alexandre' etc. Mas, em contrapartida, Cafôfo aparece ali sem adornos, sem o 'Ex. Sr. Dr.' que o 'Miguel Filipe' etc não dispensa.
A coisa há dias não foi assim tão grave, pois. Isto se o novo 'Lido' ainda está lá. Com a inauguração de 22 de Março, por exemplo, o Lido que existiu entre 1932 e 2016 passou a ser alucinação colectiva.  

De arrancar castanheiros



BICHARADA PARASITA FAZ BRIGAR
SUSANA PRADA COM HUMBERTO












Foi ali para os lados do Curral das Freiras que um bichinho traquinas assentou arraiais para dar cabo da missão frutícola dos castanheiros. Ai sim? - sorriu o secretário da Agricultura - Já te tratamos da saúde.
Então, os serviços dependentes de Humberto Vasconcelos, apoiados por autarcas do Curral, mandaram vir de fora gente especializada na matéria com um exército de outros bichinhos capazes de dar cabo do canastro aos parasitas da castanha.
A largada dos animaizinhos invasores estava prevista para quarta-feira. Mas a castanha não caiu sobre os parasitas. Caiu sobre quem tratava de resolver o caso. Porque a Secretaria do Ambiente saltou indirectamente em defesa dos bichinhos comodamente instalados nos galhos dos castanheiros, alertando: os insectos importados vão fazer mal às abelhas e a plantas que nada têm a ver com a guerra dos castanheiros!
Segundo nos conta quem sabe, a largada ficou adiada para quinta-feira. Porém, ontem à noite, comentava-se no Funchal que a situação continuava bloqueada, com o secretário da Agricultura e a secretária do Ambiente engalfinhados numa batalha de arrancar castanheiros, perpetuando o impasse.
Estamos nisto. Será que os bichos do castanheiros, com fêmeas que dão à luz 300 larvas de cada vez, continuam a comer as partes mais doces da copa, que certamente não serão os ouriços? A bicharada que chegou de fora com toda a força já tem luz verde para a degola ou continua metida nas 'gaiolas'? 
Não sabemos. Ficamos à espera que alguém explique esta situação, que o faça com pés e cabeça e com os nomes apropriados.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Disputa acesa na concelhia CDS-Funchal



A votação decorre amanhã entre as 4 e as 7 horas. Falámos com Ricardo Vieira que se afirmou inabalável na decisão de impugnar o acto caso a Lista A insista no voto por procuração. Os elementos desta dizem-se dispostos a levar a luta até ao fim e a utilizar a procuração.
Já lemos os estatutos e regulamentos nacionais e regionais. A decisão é difícil. No território continental, é claro que o voto é presencial. Mas há matéria regulamentar na Madeira que admite o voto por procuração, não podendo cada eleitor representar mais de 3 outros eleitores. 
É de prever que a Lista A ceda neste ponto, aceitando a determinação nacional. O secretário-geral Lino Abreu é desta opinião: voto presencial.Mas só amanhã saberemos do método a seguir, assim como saberemos o nome do novo presidente da comissão política funchalense: Nelson Ferreira ou Américo Dias. Com o primeiro, está Rui Barreto. Com Américo, Ricardo Vieira. 
Deixamos aqui o programa eleitoral de cada uma das listas. 


Festa em cima de festa





O CALENDÁRIO OFICIAL DE FESTAS
DEIXA POUCA MARGEM ÀS CAÇADAS


Se os mestres carpinteiros e afins da Festa da Flor não eram tão rápidos a desmontar as 'cangalhas', salvo seja, que estiveram durante umas 3 semanas na Avenida, a equipa da nova feira da agricultura, pronta para arrancar, teria de montar os cacos mesmo em cima das bancadas e dos pavilhões floridos. Só ficavam intactos os quiosques das farturas e do bolo do caco, porque são para continuar.
De facto, isto é uma festa em cima da outra. Não dá tempo a respirar.



O pobre do nosso Presidente do Blue Establishment não tem mãos a medir. Chega de uma viagem cansativa, é levado para novos festejos desta Madeira sempre-em-festa. Depois, mal ouve a girândola de apoteose, é metido no avião para nova excursão lá fora... Veja-se desde o Natal até à data em quantos programas de festas o novo Sua Excelência das Angústias teve de participar. E a quantas caçadas alentejanas e africanas teve de meter botas, boné de safari e caçadeira.
Ainda agora, segundo as imprensas oficiais, o homem, entre duas festividades, foi pela Europa tirar umas fotografias com o Carlos Moedas - sabendo que não adianta cravar-lhe uns trocos para a Madeira - e com o danado do Juncker. Mas atenção, aquilo é uma noitada com partida da Grand Place e chegada à Grand Place e ala para mais uma deslocação à Madeira. A festa do tabaibo e da nêspera idealizada pelo secretário Humberto está aí está a rebentar. 
Dis-cur-so! Dis-cur-so!
alguns destes figurões do Blue que tanto criticaram em tempos, aliás justamente, a prática do outro, o das Festas!

Internas no CDS-PP




RICARDO VIEIRA AMEAÇA IMPUGNAR 
ELEIÇÃO DA CONCELHIA DO FUNCHAL


Lista A




Elementos afectos à Lista A concorrente aos órgãos dirigentes da concelhia centrista funchalense denunciam que Ricardo Vieira, antigo presidente do partido e agora candidato à Mesa da Assembleia pela Lista B, está a tentar condicionar o processo com a ameaça de o impugnar.
As eleições ocorrem amanhã e há uma inusitada movimentação por parte das duas listas concorrente. Nelson Costa Ferreira é o candidato à liderança da comissão política concelhia pela A. Pela B, Américo Silva Dias, com apoio, pois, de Ricardo Vieira.
A Lista A apresenta para a mesa da concelhia o deputado Rui Barreto.
Há campanha eleitoral a correr nas redes sociais. A Lista B convidou os eleitores para uma sessão de esclarecimento hoje, véspera do acto eleitoral, seguida de jantar-convívio.
Elementos da A dizem saber que Ricardo Vieira diz que impugnará as eleições caso seja utilizado o voto por procuração. Ou seja, exactamente o contrário que o antigo presidente do CDS defendeu no pretérito congresso do partido. Ricardo Vieira, que segundo a 'A' sabe que os adversários já contam com muitos votos por procuração, quer que sejam aplicados os regulamentos do PP ao nível nacional, que só contemplam o voto directo. Os da 'A', estranhando a contradição de Ricardo Vieira, querem ver aplicada a regulamentação regional, que prevê o voto por procuração.
Os elementos da Lista A acham também curioso o empenhamento de um militante que é um dos presidentes históricos do CDS-M numas eleições concelhias, dando mesmo a cara para o lugar de n.º 1 da Mesa da Assembleia. 

terça-feira, 26 de abril de 2016

Cidade


E o resto é paisagem




LEVADAS DA MADEIRA


Acaba de ser publicado no Dicionário da Terra e do Território no Império Português (https://edittip.net/) um verbete da minha autoria sobre as Levadas da Madeira.Quem estiver interessado poderá ler o texto em (https://edittip.net/2016/04/25/levadas/).

Aproveito a oportunidade para, também, divulgar a reportagem da RTP-Madeira a propósito da conferência "ÁGUA DE GIRO", que proferi no auditório da reitoria da Universidade da Madeira, no dia 19.04.2016 (https://www.youtube.com/watch?v=5rZqZC0Blcw&feature=em-upload_owner).

            Raimundo Quintal

ESPECTACULAR




A parada de carros antigos foi o êxito do costume. Todos os 'bólides' arrancaram aplausos ao longo de toda a Avenida