sábado, 30 de julho de 2016

Grupo parlamentar PSD responde ao bombardeamento da oposição



ESCLARECIMENTO

Face às notícias que têm surgido nos últimos dias nos meios de comunicação relativas à postura do PSD nesta primeira sessão legislativa e que em nada refletem a seriedade política e a verdade dos factos, esclarecemos o seguinte:
1.      O Grupo Parlamentar do PSD reafirma a disponibilidade para o debate e discussão de todas as iniciativas parlamentares, reservando-se, contudo, ao direito de aprovar as iniciativas que considera serem válidas e devidamente apresentadas, de acordo com os compromissos eleitorais assumidos e com as reais necessidades da população;
2.      Tal ficou demonstrado com a aprovação, neste primeiro ano de legislatura, de várias iniciativas, não só do Governo Regional e do PSD como também da oposição;
3.      Face ao exposto, recusamo-nos a alinhar na demagogia ou populismo partidário, que apenas têm por objetivo o ‘show off’ político e a soma de pontos para a estatística parlamentar;
4.      O Grupo Parlamentar do PSD apela, por isso, a que a população, através do site da ALRAM, possa analisar as propostas da oposição, as quais, na sua maioria, são mal formuladas e sem o respetivo enquadramento legal e/ou orçamental;
5.      Assim, em nome da nossa democracia e autonomia, o Grupo Parlamentar do PSD reforça o seu empenho e disponibilidade para o diálogo com todos os agentes políticos, sociais e económicos que tenham por objetivo a sustentabilidade da nossa Região e a construção de um melhor futuro para todos os madeirenses.

O Líder do Grupo Parlamentar do PSD Madeira
Jaime Filipe Ramos

LEVADAS DA MADEIRA –  DOCUMENTÁRIOS
2º EPISÓDIO - ÁGUA DE GIRO
Divisória de água na freguesia dos Prazeres – Levada Nova entre a Calheta e a Ponta do Pargo



ÁGUA DE GIRO é o segundo documentário da série LEVADAS, que realizei em 1992 com o objetivo de divulgar a epopeia da conquista da água na Ilha da Madeira.

ÁGUA DE GIRO pode ser visionado em:http://www.youtube.com/watch?v=DAfEbYIk7_4

Nos próximos dias serão divulgados os restantes episódios, visando ajudar a compreender porque razão as Levadas da Madeira têm qualidade para serem elevadas à categoria de Património da Humanidade.
Levada Nova entre a Ribeira do Moinho e a Achada Grande - Boaventura



Texto e Fotos: Raimundo Quintal

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Arraial da Herdade com números esquisitos



PSD-M PEDE E PAGA LICENÇA 
PARA FESTA COM 8 MIL PESSOAS


O melhor é fazerem as continhas antes da ronda pelas barracas...

O nosso Agente Praça do Povo acaba de apanhar o Grémio Laranja em mais uma das suas infindáveis argoladas. Segundo a pesquisa deste K, o aparelho social-democrata pede e paga 560 € à Sociedade Portuguesa de Autores pela licença do arraial de Verão na Herdade, verba correspondente ao escalão que cobre espaços com área entre os 3001 e os 4000 metros quadrados e a lotação de 6001 a 8000 pessoas.
Veja-se a tabela de valores para o tipo de espectáculo em questão:





Então! Só 8 mil?! Agora dá para uma pessoa pensar: onde estão aquelas 40 mil almas de que o velho PPD falava nos outros anos de Chão da Lagoa? E os 20 e tal mil apregoados pelo actual grémio? Desta vez, falou-se em 20 mil. Se não foram sargentos da Broquilhândia a informar, também nada desmentiram.
Enfim: para fazer vista, os simpatizantes são às dezenas de milhares; para pagar a dolorosa, são meia dúzia de gatos pingados.
Ou será que, ao pedirem a licença à SPA, a boca lhes fugiu para a verdade? 
Para quem quiser consultar preços e outros números, fica este site indicado pelo nosso Agente Praça do Povo:

Parlamento



Bloco presta contas de um ano

O Grupo Parlamentar do BE na Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, acompanhado de cerca de uma dezena de ativistas bloquistas, estiveram durante toda a manhã desta sexta-feira em contactos com os eleitores, na baixa do Funchal, aos quais prestaram contas d trabalho parlamentar realizado no primeiro ano de mandato. na ocasião, Rodrigo Trancoso, Deputado do BE, afirmou que durante este ano "ficou evidente a falta de capacidade do governo regional em resolver variadíssimos problemas levantados pelo BE, entre eles o combate à pobreza que foi objeto de um debate protestativo solicitado pelo nosso Grupo Parlamentar". O parlamentar bloquista recordou as propostas de alteração apresentadas pelo BE ao Orçamento da Região para 2016, entre elas, a recuperação de um diferencial fiscal até 30% mais baixo que no continente o que facilitaria a vida de milhares de conterrâneos nossos.


Texto BE

VERÃO 2016 

(6)





ATÉ MARCELO EVAPORAR



Marcelo Rebelo de Sousa é esperto e até inteligente. Mas, sina do ser humano, há na presidencial cabeça uma falhazinha. Uma pontinha de loucura na forçada imagem de prudência. Como aliás se viu em diferentes fases da vida do Profe habituado a dar notas aos outros.
O novo inquilino de Belém correu a pôr-se a jeito de micros e câmaras assim que soube das sanções zero a Portugal por parte dos crânios europeus. Lá veio ele colar-se à 'vitória' portuguesa e à Geringonça, governo de suposta esquerda que não é motivo de preocupação nenhuma até porque a crise se evaporou com este zero - palavras de Marcelo.
Durante a campanha eleitoral e ao longo de todo este estado de graça presidencial, o homem cavalga a onda que soube desenhar com mestria para si próprio, em nome da sua popularidade. Os banhos de multidão com beijos e abraços em todo o lado alternam-se com as fotos e as declarações do Chefe de Estado sempre que alguma coisa de agradável acontece na sofrida Pátria. 
Ele sabe fazê-las. Apanhado a jantar no Palácio de São Lourenço quando a Selecção Nacional vencia mais uma eliminatória do Euro 2016, dando mais um passo para o sonho, Marcelo levantou-se da mesa, apressou o passo até à festa que os delirantes adeptos faziam ao lado do Palácio, no Largo da Restauração, e lá estava ele no momento da vitória, dando entrevistas para todas as televisões que o levariam de imediato a casa dos 11 milhões. Minutos depois, voltava a São Lourenço com os outros convivas que o acompanharam na arruada. Faltava comer a sobremesa.
A crise evaporou-se, por agora. Mas este volúvel povo lusitano é capaz de dar pela falta do novo ídolo belenense quando a realidade começar a chegar à bruta, desafiada pela incompetência e pelos jogos de interesses actualmente vistos de extremo a extremo da Lusitânia. Porque algo nos segreda que ele, ao primeiro berbicacho a sério, vai evaporar-se, mandando a mensagem de longe: isso é com o governo. Teremos então um zero à esquerda.
E será tempo de aparecerem outros a dar nota ao mestre. Os aristarcos das análises urticantes em papel não aguentam muito tempo nesta hibernação.
Ele disse que volta ao Arquipélago da Madeira em breve. Bem-vindo. Mesmo que então já esteja em etapa de derrapagem, não terá problemas durante a visita. Acho que as cagarras não sabem assobiar.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

PTP contra congelamento na FP



HOMENAGEM AOS HERÓIS ANÓNIMOS QUE EDIFICARAM AS LEVADAS

Levada do Norte no sítio do Espigão, freguesia da Ribeira Brava (foto: Raimundo Quintal)


- Sem as Levadas a água faltaria nas nossas casas;
- Sem as Levadas o sul da Ilha da Madeira seria árido e não era possível a produção de banana e de outros frutos tropicais;
- Sem as Levadas não teríamos Quintas, Parques e Jardins com plantas dos quatro cantos do Mundo florindo todo o ano;
- Sem as Levadas não funcionariam as turbinas das centrais hidroelétricas e seria maior a nossa dependência externa em matéria de energia;
- Sem as Levadas teríamos menos turistas, porque elas são, simultaneamente, caminhos da água e de descoberta da majestosa Laurissilva.
Os HERÓIS ANÓNIMOS, que, ao longo de quase seis séculos, edificaram a fantástica rede de LEVADAS DA MADEIRA nunca foram condignamente homenageados.
Se acha que o Governo Regional deveria erigir um monumento em honra dos operários e dos técnicos, que construíram as Levadas, por favor partilhe esta mensagem.



PS-M ataca Laranjal





Não há Art'Camacha


CÂMARA DE SANTA CRUZ DEVOLVE
ACUSAÇÕES À CASA DO POVO



Alerta CMF


CRUZAMENTOS E PASSADEIRAS









Como íamos dizendo aqui um dia destes, as conversas hoje de manhã no Til, depois deste acidente, versavam a única cidade do mundo que tem passadeiras em cima dos cruzamentos não semaforizados. Havia unanimidade: parabéns às engenharias da D. Câmara, já que não houve danos em peões a juntar aos feridos que foram ao hospital. O carro preto, a subir, pretendia virar à esquerda para o D. João, o jipe vinha de cima, as atenções têm de se focar em tantos perigos simultâneos...

Tal como o grémio laranja, os súcias tratam dos seus boys caviar


Claro que, pelo meio, entram umas Belezas e afins para equilibrar. Eles entendem-se bem, porque há sempre um dia de amanhã. Os 'militantes' da Madeira também sabem mexer-se. As primeiras notícias parecem confirmar-se. A quem as nossas pobres contas bancárias estão entregues!
Com a devida vénia ao 




CGD. Costa Silva e Fernando Guedes propostos para não executivos




António Domingues, que vai ser presidente da Caixa, esteve em Frankfurt na terça-feira. 

O presidente da Partex, António Costa Silva, e Fernando Guedes, da Sogrape, foram convidados para administradores não executivos da Caixa Geral de Depósitos, aumentando assim o número de administradores que acumulam as funções com as de presidentes-executivos noutras empresas, noticia o jornal “Público”.
Os nomes estarão incluídos na lista que foi enviada para o BCE para aprovação. 

A nova equipa da Caixa contará com 19 membros: 7 executivos e 12 não executivos, liderados por António Domingues. 
O co-CEO do grupo Sonae, Angelo Paupério, está incluído na lista de administradores enviada ao Banco Central Europeu (BCE) para a nova equipa da Caixa Geral de Depósitos (CGD), noticia o “Jornal de Negócios”, assim como Carlos Tavares, da PSA – os dois exercem funções executivas noutras entidades. Integrará ainda a equipa Rui Vilar, antigo presidente da Gulbenkian, e Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud, que vão ser vice-presidentes da Caixa. 

Bernardo Trindade, administrador do grupo hoteleiro Porto Bay, Pedro Norton, antigo presidente da Impresa, Ángel Corcostegui (ex-administrador do Banco Santander Central Hispano); o antigo presidente executivo do Dresdner Bank, Herbert Walter. Nos executivos são já conhecidos os sete gestores: Emídio Pinheiro (que é presidente do Banco de Fomento Angola); de Henrique Cabral Menezes, atual presidente do Banco Caixa Geral Brasil; dos Tiago Ravara Marques, diretor de recursos humanos do BPI, e João Tudela Martins, que tem a gestão de risco do BPI, e ontem o Expresso revelou que também Pedro Leitão (ex-administrador da PT) integrará a comissão executiva, além de Paulo Rodrigues da Silva, noticiado pelo Negócios. 
Nenhum dos nomes foi confirmado pelo ministério das Finanças. O “Público” diz ainda que António Domingues esteve esta terça-feira em Frankfurt para desbloquear junto do Banco Central Europeu a nomeação dos novos órgãos sociais. 

A lista só chegou no final da semana passada ao BCE, o que poderá atrasar o processo. Por isso mesmo, o ministério das Finanças já pediu formalmente, através de uma carta enviada ontem à gestão demissionária da Caixa, para que a equipa de José de Matos fique até meados de agosto. 

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Será a concessão das casas do Governo no Porto Santo mais um logro para favorecer empresários do PSD?

     



CONCESSÕES AO PESSOAL DO REGIME
PARA 'PREGAR NO TECTO'




O PTP quer saber se as casas do Governo no Porto Santo irão ter o mesmo desfecho que muitas outras concessões do Governo entregues a empresários do PSD. Nomeadamente,  incumprimentos das rendas contratualizadas por longos anos, com acumular de dívidas de milhões euros - com elevados prejuízos ao erário público.

Por norma, os concursos públicos para concessões de espaços tutelados pelo Governo, são arrematadas por valores avultados (na maior parte das vezes por valores impraticáveis à rentabilidade da empresa) a empresários do regime, que sabem à partida que nunca irão ter de pagar o valor proposto, porque o Governo Regional aceita indexar o valor a pagar no futuro ao resultado líquido da empresa. 

Agora resta saber se irá acontecer o mesmo com a concessão das casas do Governo no Porto Santo, uma vez que foi revelado na imprensa que o Grupo Sousa, ofereceu o valor mais elevado (mais de 3 mil euros mensais) para a exploração das moradias. 

Há que lembrar que Ricardo Sousa, também ganhou a concessão do Estaleiro Naval da Água de Pena e da Marina do Porto Santo oferecendo um valor avultado e depois explorou os espaços durante vários anos, sem pagar a renda estipulada.

O Governo deve garantir que tal não se suceda uma vez mais. Caso contrário, estamos a chover no molhado.



                 



Representação Parlamentar do Partido Trabalhista Português
na Assembleia Legislativa Regional da Madeira

Os 'milhões' do PS-M que dão 'manchete'


Comunicado dos deputados do PSD-M à AR

Em resposta às declarações proferidas pelo PS-M na edição de hoje do DN-M sobre a redistribuição de fundos comunitários, os deputados do PSD-M na Assembleia da República informam o seguinte:

1.   O género de linguagem que o PS-M insiste em utilizar no combate político em nada dignifica a democracia.
2.   Tal como Michelle Obama afirmou no seu recente discurso na Convenção Democrata nos EUA, "quando eles atiram baixo, nós nos elevamos". O PSD-M recusa entrar no pingue-pongue de adjetivos de escola primária que o PS-M quer provocar.
3.   Face ao fogo-de-artíficio socialista madeirense dos últimos meses, prometendo "mundos e fundos" na ordem dos milhões de euros em sede de reprogramação de verbas comunitárias, os deputados do PSD-M na AR decidiram solicitar o esclarecimento oficial dos dois ministérios responsáveis - Negócios Estrangeiros e Infraestruturas - uma vez que o PSD-M tem provas dadas de colocar sempre os interesses da nossa população acima de quezílias partidárias. Se os deputados do PS-M se esqueceram das promessas que fizeram, basta ler as manchetes do DN-M que o PS-M tem provocado desde 11 de Janeiro 2016, para refrescar a sua memória.
4.   O PS-M insiste nas suas falácias, mas acaba por ser desmentido pelos próprios ministros do Governo da República, que responderam categoricamente que, face às regras comunitárias, não seria possível atribuir mais fundos à nossa Região. O PS-M - que se gabava de ter uma relação tão íntima com o governo de António Costa - afinal está num estado de desinformação profunda.
5.   O PS-M tem vindo a chamar até si diversos ganhos obtidos para a população madeirense e portosantense, obliterando que esses ganhos são fruto do trabalho do Governo Regional. Esse "fogo-de-artíficio" socialista é fácil e pura demagogia, porque o PS-M nunca teve responsabilidades governativas na RAM. Contudo, quando fazemos a verificação factual das promessas do PS-M, esse chumba sistematicamente no crivo dessa verificação, tal como as duas respostas dos Ministros o demonstram objetivamente.
6.   A RAM pode continuar a contar com o empenho objetivo dos deputados do PSD-Madeira na defesa dos interesses da nossa população acima de tudo. Uma defesa que se faz respeitando as regras e as normas da democracia.

Os deputados do PSD-M à Assembleia da República
Sara Madruga da Costa
Rubina Berardo
Paulo  Neves


GUERRA EM SÃO MARTINHO


Junta de Freguesia delapida Património local

Funchal, 27 de julho de 2016 - O PSD/São Martinho acusa o executivo da Junta de Freguesia de estar a delapidar o património local, com a eliminação de estruturas e dos espaços verdes no Centro Cívico.
Os social-democratas lembram que os serviços administrativos da Junta funcionam naquele edifício, através de protocolo, estando essas alterações a ser implementadas sem autorização das entidades competentes e dos proprietários do mesmo. “Não só se altera a sua configuração original, como se amputam as áreas verdes que lá existiam”, refere Daniel Sousa, arqueólogo e um dos responsáveis da Comissão Política de Freguesia.
“Numa tentativa de inovar, o executivo liderado pelo Eng.º Caldeira inventa, realizando ações “sem dar cavaco às entidades competentes, na prepotente ótica do “quero, posso e mando” que parece, de facto, ser a missiva do autarca”, afirmou.
Daniel Sousa sublinha que “o executivo da Junta de Freguesia de São Martinho tem-se pautado por uma postura ambígua em relação aos seus projetos, fazendo alarido desmedido com as suas iniciativas, todas elas rotuladas de inovadoras e exclusivas”. Porém, estas “não passam de manifestações falsas e trafulhas que tentam deturpar a história e o legado social-democrata na freguesia”.
A comissão política garante que tanto os autarcas do PSD como a população estão atentos a esta e a outras situações que ocorram na freguesia e repudia veemente a atuação que a dita “Mudança” tem trazido a São Martinho.
A Comissão Política do PSD-S. Martinho


VERÃO 2016 

(5)



A BROQUILHÂNDIA 
E AS METAS VOLANTES



Mesmo em pleno Verão abrasador, o contribuinte dá consigo a pensar. Onde é que estamos? Aonde é que vamos bater? 

Há uns 3 meses e picos, Albuquerque, a propósito do primeiro ano de desgovernação Blue-Bronco-Broquilhândia, escrevia no suplemento da ordem, encartado nos jornais para encontro de contas: "Hoje completamos um ano de governo (sic) com avanços significativos nas metas assumidas com os madeirenses e os porto-santenses."
A semântica miguelista pode ser bonita por fora, mas o seu âmago é perturbador.
O presidente certamente refere-se aos títulos de imprensa e bombas de telejornal anunciando tantos milhões a caminho da Madeira, mais tantos milhões que já devem estar nos correios. Milhões que nunca chegam, pelo que não se pressente a mais insignificante brisa capaz de bulir um pouco a economia depauperada que temos. Miguel fala certamente da excelência e do mérito; do estreitar de laços entre o MAR e a Noruega; de uma tal Agência Regional de Investimento que atrairia empresários cheios de papel; da tão propalada redução gradual dos impostos e alívio do IRS. Isto sem falar outra vez daqueles projectos para o povo ir de barquinho ao Continente e a Canárias e de exportar nabos e cenouras por via aérea.
Pode ser verdade, como se tem lido à saciedade, que nesta terra se respira cultura, que há atum de fartura, que requalificações de estradas e poços de rega é mato, que há troca de beijos e abraços na ex-casa de loucos. Mas a realidade é que grande parte do povo continua desempregado, pobre e obrigado a emigrar, por falta de dinheiro para gastos.
A gente olha para aquele desgoverno, palácio das Angústias incluído, vê aqueles broquilhas de gravata, de cima a baixo na estrutura, e vai esperar o quê? Pois se ainda por cima aquela gente está com falta de vista! Miguel acha que vivemos no céu. Eduardo Jesus, sem nada ter feito até agora, assegura que tenciona fazer mais do que está inscrito no programa de governo! E disse-o como se estivesse falando a sério! Jorge Carvalho não sei se ainda está lá nas escolas. Sérgio torna-se cada vez mais o mistério do establishment. O Gasparzinho então passa o tempo a contar os últimos cêntimos. Ao passo que os semilhas do Golden e respectivos lacaios, oportunistas da política que ensombram uma equipa de Secretaria Regional que já teve prestígio, lançam cada bojarda sobre a banana e a comercialização do tabaibo que... Bem, esses ao menos fazem o pessoal escangalhar-se a rir, já não é mau.
E é com esta cegueira que a incompetente Blue-Broquilhândia vai levando a velha Tabanca para o abismo. Se Miguel anda convencido de que ganhará as 11 câmaras para o ano, está tudo dito.
Sim, chefe Azul não deixa de ter razão quando diz ter avançado significativamente nas metas traçadas. O problema é que ele deve avançar as soluções para cortar as metas, deixando-as para trás com a coisa resolvida. Se continua avançando as metas, nunca mais as apanha.
No ciclismo é que há metas volantes, mas mesmo essas têm de ser ultrapassadas.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Acção política




PCP mostra serviço parlamentar




"É PRECISO UM NOVO RUMO PARA A MADEIRA"


Balanço do trabalho desenvolvido pelo Grupo Parlamentar do PCP na I Sessão Legislativa da XI Legislatura da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira



As declarações foram da deputada Sílvia Vasconcelos.

O PCP/Madeira apresentou hoje, terça-feira, dia 26/07/2016, através do seu Grupo Parlamentar na Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, o balanço à sua actividade nesta I Sessão Legislativa que agora termina, a primeira desta XI Legislatura Regional, e no decorrer da qual apresentou dezenas de iniciativas no âmbito das questões sociais e laborais. 

Organizem-se!



Carlos Pereira ataca no JM






PSD responde



VERÃO 2016 

(4)





AEROPORTO RONALDO... COM MADEIRA 








Registei duas enormes surpresas no lançamento deste folhetim que está a dominar o Verão 2016 sob o título 'Um Aeroporto chamado Ronaldo".
Em primeiro lugar, espantou-me o governo regional sair-se com tal ideia. Não estou a chamar tapados a Miguel e seus asseclas. Achei estranho foi sair alguma coisa de novo daquele conservador Establishment, onde o que interessa é que nada aconteça para os ditos-cujos passarem ilesos entre os raios de ultravioleta. Quem havia de dizer que Miguel Albuquerque criaria um facto 'político' desta forma capaz de durar a época balnear?
Segundo lugar, admirei-me com o assentimento de Cristiano Ronaldo, sendo ele próprio uma marca internacional com contratos de propaganda cruzados em todos os sentidos e direcções e em 'n' plataformas que não se compadecem perante amizades ou patriotismos. 
Para quem gosta de notícias, ouro sobre azul teria sido uma nega de Ronaldo. Então, surgiria diferente o discurso da caterva de novos intelectuais que se levantaram indignados contra o projecto de atribuir o nome de um jogador de bola ao seráfico Aeroporto, subitamente transformado em 'vaca sagrada' no debate para preencher vidas vazias.
Se Ronaldo recusasse, os críticos veriam nisso uma atitude lesa-pátria. Imediatamente rotulariam CR7 de arrogante. De mau madeirense que enriqueceu lá fora e se acha superior aos conterrâneos. Um sem-coração incapaz de ajudar a sua terra que atravessa uma situação difícil e precisa de propaganda internacional para ser falada nos potenciais centros geradores de turismo - podendo fazê-lo sem custos porque afinal era só uma questão de dar o nome. Ele que tem a sorte de ser mais conhecido no mundo do que a sua terra - e por aí adiante, no contexto da criatividade iluminada que temos visto por aí.
Da minha parte, o nome Aeroporto Internacional da Madeira está muito bem. Se é para rebaptizar com o nome de alguém, então, desde que o nome Madeira continue parte do lettering, então que seja o de Ronaldo, porque concretiza uma homenagem mais do que justa e ao mesmo tempo - uma mão lava a outra - constitui a melhor publicidade mundial que se pode fazer. Claro que ninguém decidirá vir à Madeira com o estranho desejo de aterrar num aeroporto com nome de craque. A ideia é entrar na concorrência com outros destinos sabendo utilizar as plataformas modernas, que já não são bem os workshops para oferecer orquídeas ou um cartaz com vilões a tocar rajão no meio de outros mil algures por esse mundo. Há uma net, lembram-se?
Esta guerra estival tem muitos lados irónicos. Um deles é recordar a altura em que Pereira de Gouveia - que descanse em paz - quis mostrar serviço a Jardim, para se eternizar no GR, propondo a atribuição do nome do chefe ao aeroporto - levando por isso, e bem, uma solene descompostura daquele a quem pretendia bajular. E outra ocasião em que já era Jardim a querer que fosse dado o nome de Aníbal Cavaco Silva à infraestrutura aeroportuária, sendo Cavaco a recusar. Nessa altura, certos críticos de hoje ficaram calados, porque se 'cortavam' todos perante as reacções politicamente incorrectas do então chefe da Tabanca. 
Alguns destes acham que o aeroporto deveria continuar a chamar-se 'Santa Catarina'. Sim, é o nome original, muito nosso, que invoca o sítio da pista. Mas nos dias de hoje não se dispensa, julgo, o nome de Madeira. E então se associado ao nome do madeirense que arrasta multidões seja na internet seja numa aldeia dos Himalaias, tanto melhor.
Mas que o debate continue, por ser salutar, embora em muitos casos estejam quase a ofender o próprio Cristiano como se tivesse partido o capitão dos Campeões da Europa a a proposta que eles contestam. E falam dia e noite do homem, como se não tivesse vida própria. Dá um certo estatuto falar, opinar e contrariar uma figura como Ronaldo. Ronaldo é que não os conhece de lado nenhum. A esta hora, anda ele de férias a dançar com Jennifer Lopez e a passear de iate no Atlântico azul, com a família, enquanto não volta às televisões de todo o mundo para continuar a brilhar de camisola branca e a receber 'bolas de ouro', causando algum ciúme nas mentes mais fechadas.

PS - Ilustrei o texto com aquelas duas fotos de George Best, obra dos saloios dos irlandeses, porque não me ocorreu coisa melhor.


CHÃO DA LAGOA


Vinho seco e maçarocas, isso não é com esta gente Blue. Que esforço!


Tenho recebido reclamações de diversas formas pelo facto de nada ter narrado sobre a jornada social-democrata ontem na Herdade. Pergunto: houve notícia lá em cima? Que eu saiba, Passos Coelho e Miguel Albuquerque encabeçaram um choroso velório com discursos para não ressuscitar defunto, e isso neles não é novidade nenhuma. Intervenções a dizer mais do mesmo, nem sequer faltando até os nados-mortos hospital e ferry, que Deus haja. Até os assobios quando Miguel falou de Passos Coelho eram esperados, assim como as tímidas palmas dos beneficiários do Establishment para tentar disfarçar a vaia.
Depois, a 'meia casa' que aquilo deu, se tanto, percebendo-se que a festa vai morrendo de ano para ano. Jaime Ramos e chefe da Tabanca diziam no seu tempo que iam lá acima 30 e 40 mil, o que não correspondia à verdade. Mas ia muita gente. Agora não. A mixórdia actual Blue-Broquilhândia não quer perceber que o arraial lá em cima foi concebido para o anterior estilo espalha-brasas. O líder anterior sentia-se como peixe na água quando devorava dentinhos de 53 qualidades, poncha e vinho de variadíssima graduação, despiques com o povo, tudo a terminar em banho de espuma e num discurso para mandar os maricas de Lisboa para a p... que os p... e até levar..... nas noites duvidosas do Parque Eduardo VII. 
Os actuais feitores do Laranjal não têm jeito para aquilo, e ainda bem. O problema é que querem mostrar que têm. Deviam apostar no jazz e no ambiente de piano-bar. As campanhas de estilo mais ameninado só lá chegam via TV.
Miguel Albuquerque tentou uma piadinha para fazer o povo rir, anunciando luta vigorosa para ganhar 11 câmaras em 2017. Eu ri ao ouvir aquilo na rádio, mas o povo, debaixo daquela canícula, não teve a mesma pachorra.
Portanto, não aconteceu nada digno de destaque a merecer reportagem. E este não é o local certo para procurar propaganda partidária ou para ver chover no molhado.  

segunda-feira, 25 de julho de 2016

PTP denuncia abandono por parte das entidades públicas do Sítio da Lombada

               

PTP EM SANTA CRUZ

O PTP esteve no Concelho de Santa Cruz alertando para o abandono por parte das entidades públicas, nomeadamente, Governo e Câmara Municipal, em relação ao Sítio da Lombada. Segundo o deputado trabalhista, José Manuel Coelho, a agricultura praticamente não existe derivado à falta de água de rega e lembra que o pavimento do Caminho da Lombada está todo esburacado já há muitos anos. Sempre que há eleições, tudo fala na estrada municipal da Lombada mas assim que são eleitos o assunto fica esquecido.


                         

Texto e vídeo: PTP

O Santo



Comentando


D. SEBASTIÃO E A MADEIRA



Reza a lenda que, desde 1580, os Portugueses aguardam pela manhã de nevoeiro em que terão o regresso d’El Rei D. Sebastião – O Desejado. Em tempos de Aristocracia os súbditos, tiveram como herança do Desejado – O Desaparecido - e tempos muito tristes e sem futuro pela frente. Foi naquilo que deu o sonho do Desejado que não se preocupou com o futuro do Reino.
A nós madeirense, 436 anos depois, fica-nos a sensação de que, sem nevoeiro, há um D. Sebastião, só pretensamente aristocrata, a zelar por nós. Baseio-me nisto:


Os Renovadinhos aí estão. Para eles parece não haver passado.
domingo, 24 de julho de 2016


Até a força dos elementos se mostrou soprando com muita força, lá em cima.

E o caso não é para menos, pois aquela que foi uma grande manifestação da força da nossa Autonomia, está  a transformar-se numa festinha ''queque'', agora também aberta a gente de fora, com tiques e discurso colonialista.

Mas que fazer? É assim que eles gostam!



Na mensagem de hoje (domingo), o profeta André, revela-nos melhoria na recuperação da memória do senhor de quem colhe a sabedoria. Há, porém, ainda profundos e graves hiatos. A Festa da Autonomia terá ficado “queque” mas também não se ouve o chorrilho de insultos aos “cubanos colonialistas” que envergonhavam os cidadãos Portugueses, nascidos em qualquer parte do Mundo.
Os súbditos da Monarquia, destronada em 1910, quereriam o regresso d’el Rei. A Pátria era coisa importante nesse tempo. Hoje, os cidadãos não se reveem em eleitos que, aproveitando os ventos da história, lhes prometeram o céu, durante mais de 30 anos para depois os deixarem no Inferno.
Tal como com El-Rei, em 1578, quem lisonjeou e acompanhou o ganhador de eleições, desertou. Não vale, por isso, a pena queixar-se amargamente deles. 

Gaudêncio Figueira 

sábado, 23 de julho de 2016

Sanções a caminho


AÇOITES DA EUROPA CHEGAM À MADEIRA

O que será que Passos Coelho e António Costa têm a dizer sobre isto? Está no 'Dinheiro Vivo'.


"A Comissão Europeia vai propor ao Parlamento Europeu a suspensão de 16 fundos estruturais em Portugal que são financiados por Bruxelas como sanção por não ter sido respeitado o limite do défice público de 3% do PIB. Na carta enviada pelo vice-presidente da Comissão ao presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, é proposta a abertura de um “diálogo estruturado” em setembro entre estas duas entidades, para que seja definido “o âmbito e a dimensão” da suspensão de financiamento que serve como sanção pela violação do limite de 3% do défice estabelecido nas regras comunitárias. 
Na carta, divulgada pela SIC ao princípio da tarde e a que a Lusa também teve acesso, argumenta-se que as regras dos Fundos Estruturais “preveem que partes destes Fundos sejam suspensos se o Conselho decidir que um Estado membro não tomou ações efetivas em resposta a recomendações emitidas no contexto do procedimento dos défices excessivos”. O Conselho, continua a carta, “já estabeleceu a 12 de julho que quer Portugal quer Espanha não tomaram medidas efetivas para terminarem os seus défices excessivos”, pelo que “as condições para a suspensão dos Fundos estão, portanto, cumpridas, e a Comissão irá brevemente fazer uma proposta nesse sentido”, depois de encetar um “diálogo estruturado para apresentar uma proposta equilibrada”. 

Há fundos, como os do desenvolvimento rural, que nos queimam os calcanhares.

Contas de sumir



30 igual a 64, igual a CMF

Verifiquei hoje, ao ler notícias distintas, uma publicada pelo Diário e a outra pelo JM, a seriedade com a Câmara do Funchal trata e comunica dados.
Todos aprendemos que 1 não é igual a 2, mas, ao que parece, na CMF 30 é igual a 64.
Vejamos, o JM, na edição impressa de hoje, sábado, 23 de julho, citando a vereadora Madalena Nunes diz-nos que através de determinada iniciativa, a Câmara "conseguiu emprego para mais de 30 jovens".
Já o Diário, acerca do mesmo assunto, em notícia online de 22 de julho, com a mesma vereadora escreve que o programa "ajudou 64 jovens a encontrar emprego".
Esta falta de seriedade leva qualquer cidadão a questionar e duvidar das informações vindas da autarquia.
Entre mais de 30 e 64 há uma grande diferença e pouca seriedade nos números.





Ricardo Vares


Nota Fénix - Caro Ricardo Vares, é verdade que 64 jovens são mais do que 30 jovens. Assim como 3.542 são mais do que 30. Naquela casa, é meia bola e força e está sempre certo. Como o oráculo. 

Sábado à tarde


Movimento na cidade e motas nos seus lugares



Acabo de chegar de uma volta que dei pelo Funchal para desfrutar das obras na Ribeira de Santa Luzia. Para um sábado com tanto calor, a cidade está razoavelmente animada. Começa a produzir frutos a ideia do 'fica na cidade'. Por outro lado, os estacionamentos continuam disciplinados, depois da engenhosa inovação dos espaços religiosamente reservados às motos. Ao fundo, à esquerda, frente à Casa Londrina, vai um estrangeiro que, pelo que percebemos, anda à procura do 'cartão turístico' que o Mayor prometeu lançar em Junho.