quarta-feira, 24 de maio de 2017




AAAEA APADRINHA LANÇAMENTO DE LIVRO DE CLÁUDIA FARIA



No dia 29 de Maio, pelas 18h00, decorrerá, na Escola da APEL, no Auditório Comendador Padre Mário Casagrande, o lançamento do livro de poesia ‘Não Saberás Nada de Mim?’, da autoria de Cláudia Faria. A iniciativa está integrada na Segunda Fase da APELarte, uma organização da Associação dos Antigos Alunos da Escola da APEL (AAAEA).

Cláudia Faria é licenciada em Línguas e Literatura Moderna, pela Universidade da Madeira, e também possui um Mestrado em Línguas e Culturas Anglo-Germânicas, pela mesma universidade. Atualmente, é Investigadora memorialista no Centro de Estudos da História do Atlântico (CEHA), que é tutelado pela Direção Regional de Cultura.


‘Não Saberás Nada de Mim?’ é editado pela Editora Madeirense. Trata-se da segunda obra com a chancela desta editora regional, que no ano passado publicou a ‘Dramaturgia de João França’.  

Segundo Rogério Miguel Puga, que assina o Prefácio da obra, os poemas de Cláudia Faria são um processo agradável e enriquecedor por várias razões, mas “sobretudo pela forma como a autora lida com as palavras e nos revela neologismos e trocadilhos que enriquecem a sua descrição da eterna e apurada busca que caracteriza a (universalidade da) natureza humana.” É, pois, uma proposta nova no panorama literário da Madeira.

A AAAEA convida todos os interessados a estarem presentes no lançamento da obra, cujo acesso é livre, e felicita a autora por mais este importante marco na sua carreira literária.


A Direção da AAAEA

10 comentários:

Anónimo disse...

Em Ecce Homo, Nietzsche intitulou seus capítulos: "Por que sou tão
fatalista?", "Por que sou tão sábio?", "Por que sou tão inteligente?", "Porque escrevo livros tão bons?"

Anónimo disse...

Parabens a autora por ter escolhido publicar o seu livro no mais recente projeto editorial Editora Madeirense fundada pelo Duarte Mendonca.

amsf disse...

Porque odeio fraudes e fraudes que usam os mecanismos da internet para se autoelogiar informo que qualquer pessoa pode ter uma editora e mesmo ser escritor.
É só enviar à Amazon o PDF da "obra" que se queira publicar (mais concretamente imprimir) e esta passa a constar do catálogo da Amazon. Até pode ser um PDF com páginas em branco e uma bela capa com título, autor, editora (Editora Madeirense por exemplo). Depois, se alguém encomendar um exemplar ou mais eles simplesmente imprimem o número de exemplares encomendados e enviam (c/ de 5 euros + portes)como enviam qualquer coisa que se compre na referida empresa. Normalmente o autor manda vir tantos exemplares quantos pensa conseguir vender no lançamento e tanto pode ser 1 como 1000 pois são impressos na hora. E assim se fazem as editoras e os autores graças à ignorância sob a forma como se pode "publicar" atualmente.
Aliás, é possível afirmar-se autor de uma série de livros desde que se dê ao trabalho de imaginar uns títulos e se envie uns PDF (vazios) para a Amazon para constarem do catálogo. Não custa um cêntimo e podemos incluir no curriculum vitae uma série de títulos de que supostamente somos autores mesmo que ninguém alguma vez os tenha lido ou visto em formato papel ou digital.

Anónimo disse...

Tinha de vir esta intelectualidade lancar o seu fel. o que ganhas? ha gente mesmo invejosa.

Anónimo disse...

parabens a editora madeirense na pessoa do Mestre Duarte Mendonca por apoiar a publicacao dos novos poetas emergentes da ilha da Madeira.
E preciso apoiar esta nova geracao de poetas que tem surgido ultimamente na Madeira.

Anónimo disse...

Não é necessário ser muito intelectual para perceber a origem de todos estes auto elogios que menosprezam a inteligência dos leitores deste blog....

amsf

Esmeralda Lourenço disse...

Quem nada faz está sempre pronto a atacar quem trabalha. Povinho infeliz😮

Anónimo disse...

Atenção que não estou a por em causa este livro que não conheço e pela leitura que já fiz do mestrado e doutoramento desta mesma autora, que se debruça sobre a história da família Phelps e da Madeira, creio que este livro terá qualidade.O que move é denunciar certa gente, que já vi inclusive apresentar-se como editor na RTP/M, só porque sabe como mandar imprimir "livros" a baixo preço, aproveitando o facto da grande maioria não conhecer como o fazer.

amsf

Anónimo disse...

E verdade amiga Esmeralda.

Anónimo disse...

Porque este homem do mundo da intelectualidade nutre tanta inveja em relacao ao editor da Editora Madeira projeto editorial de vanguarda? As tantas foram colegas na UMa e agora andam de costas voltadas?
Sera k esta individualidade muito conceituada vai dizer cara a cara o que disse no lancamento da obra?
Vamos acreditar que nao tera coragem bastante. O editor deve alguma coisa a Vossa Excelencia?
Saudacoes amistosas.