sexta-feira, 19 de maio de 2017

APEL comemora




Comemorações – 22 de maio 2017

No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Diversidade Biológica, a Escola da APEL em parceria com a Secretaria Regional da Agricultura e Pescas, realizará uma atividade denominada “Agricultura diferente, natureza sustentável. O potencial da diferença”, que terá lugar no próximo dia 22 de maio, das 10h00 até às 16h no Auditório Padre Mário Casagrande, na Escola da APEL. 

Esta iniciativa contará com a presença de vários convidados e será presidida pelo Diretor Regional de Agricultura Eng. Paulo Santos, e encerrada pelo Secretário Regional de Agricultura e Pescas Dr. Humberto Vasconcelos.
A comemoração do Dia Internacional da Diversidade Biológica tem como principal objetivo destacar os principais fatores que vêm contribuindo para a diminuição da biodiversidade, e realçar o papel da agricultura em Modo de Produção Biológico e de outras práticas agrícolas sustentáveis para o aumento/preservação dessa mesma biodiversidade.
No que concerne à iniciativa, destacamos a participação de vários oradores convidados, nomeadamente, na parte da manhã: Dr. Bruno Sousa (nutricionista), Chef Octávio Freitas (FourViews Hotels), Roberto Chaves (Freeride Madeira), Mónica Viveiros (MadSea) e de um Agricultor biológico. Na parte da tarde contamos com a participação do Chef Luís Pestana (Belmond Reid´s), e dos representantes do Grupo Sonae, Dr. João Delgado, Diretor de Operações Continente/Modelo Madeira e Dr.ª Ondina Afonso, Presidente do Clube de Produtores Continente.
Estas personalidades farão parte de uma mesa redonda, sob forma de abordagem do tema central da diversidade biológica junto de um público-alvo específico, designadamente alunos e Comunidade Educativa.
Decorrerá, durante todo o dia, um mercado de produtos agrícolas biológicos no pátio da Escola da APEL. De referir ainda que esta é uma iniciativa aberta a todos os interessados e de caráter gratuito.
Texto APEL

1 comentário:

Anónimo disse...

Gosto do cartaz!!!!! É só titulos académicos, doutores, professores e engenheiros. Só mesmo na Madeira para fazer este tipo de coisas, reflete bem o nível que estas cabecinhas ainda estão.